Especial Dia da Mulher: A Bombeira que é Dona do Volante

Publicidade
Publicidade

Sofia Ferreira está nos Bombeiros de Condeixa, no distrito de Coimbra, há seis anos. Ocupa já o segundo lugar na hierarquia da carreira de Bombeiro que sesofia2 compreende por 2ª categoria e é profissional da Associação Humanitária.

Entrevistada pelo BPS para este “Especial Dia da Mulher” confessa que entrou nos bombeiros porque sempre teve “o bichinho dos bombeiros, de poder ajudar os outros sem ter qualquer tipo de beneficio” e para isso muito contribuíram os pais e amigos que a incentivaram a ingressar nos bombeiros de Condeixa.

Questionada acerca de como considera que o género feminino é visto no seio da corporação assume que “não sinto qualquer tipo de discriminação somos tratadas de maneira igual (…) existe igualdade de direitos e deveres pelo menos na corporação dos Bombeiros Voluntários de Condeixa.”

Acontece que a Sofia é uma bombeira com uma especial habilitação, pouco comum ainda no seio das mulheres Bombeiras, ela étambém motorista de veículos pesados. A motivação para ocupar este lugar partiu de “de dois bombeiros , o João Linharelhos e o Chefe Manuel Cavrvalheira, eles sabiam que eu gosto de conduzir e deram-me ideia, foram incansáveis, fizeram-me acreditar que conseguia”. E conseguiu mesmo, a Sofia é hoje uma das operacionais preparadas para responder às situações de emergência que envolvem qualquer tipo de volante dos Bombeiros Voluntários de Condeixa.

Assume no entanto que “ainda não saí para o terreno a conduzir, porque não e só ter a carta, tenho que ter formação dentro da corporação para poder desempenhar as minhas funções da melhor maneira, mas a tripulação que já saiu comigo em formação e incansavelmente ajudam-me e dão-me confiança em mim mesma”.

Perguntámos à Sofia sobre a confiança que a equipa que a acompanha ao volante tem no seu trabalho, rapidamente assumiu, “a meu ver penso que sim, podem ter receio simplesmente pela inexperiência” disse sorrindo.

As ambições de Sofia Ferreira no seio dos Bombeiros são como a própria admite “muito simples, continuar a receber mais e melhor formação para poder continuar a servir a população da melhor maneira. E um dia ser bombeira de 1 categoria ou ir mais além”.

A realidade dos estereótipos de género no seio das corporações é uma situação que todos conhecemos bem, no entanto Sofia considera “que não existem estereótipos (…) nos Bombeiros pelo menos eu posso dar graças a Deus que nunca o senti na pele. Existem sim estereótipos na população em geral que ficam muito espantados quando vêem uma mulher ao volante de uma ambulância quanto mais de um pesado”. Confessa-nos já ter sentido por parte da  população algum espanto pelo facto de conduzir veículos pesados: “já me disseram, a menina consegue conduzir um carro tão grande?”

Convidada a deixar-nos um comentário para uma jovem mulher que ambiciona um dia ser bombeira responde: “Digo a essas mulheres que se tem o bichinho dos bombeiros e gostam de ajudar o próximo que o façam, que acreditem nelas próprias, que acreditem que são capazes, que conseguem honrar tão bem a farda que vestem como qualquer homem ou melhor.”

Iremos cruzar-nos com ela nas estradas de Portugal ao serviço do socorro dos Portugueses.

Commentários

Commentários