Distrito de Viseu Com 740 Operacionais Para Combater Incêndios

Publicidade

O distrito de Viseu contará em agosto com 125 equipas, 160 veículos e 740 operacionais, dos quais 440 bombeiros, para combater os incêndios florestais que venham a deflagrar, anunciou hoje o Comandante Operacional Distrital (CODIS), Lúcio Campos.

Durante a cerimónia de apresentação dos meios do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais para o distrito, Lúcio Campos disse que, na fase Charlie (a mais crítica), em julho haverá 61 Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) e 15 Equipas Logísticas de Apoio ao Combate (ELAC), que em agosto aumentam para 64 e 18, respetivamente.

“Em agosto, serão 360 bombeiros diariamente preparados pertencentes a ECIN e ELAC para qualquer eventualidade em termos de incêndios florestais”, frisou.

No terreno, estarão também operacionais e viaturas de outras entidades, nomeadamente do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, da GNR (SEPNA e GIPS), da PSP e da Afocelca.

“No total são 283 operacionais e 59 viaturas durante todo o dispositivo”, explicou o CODIS.

Segundo Lúcio Campos, no distrito de Viseu estarão também seis meios aéreos durante a fase Charlie, quatro na fase Bravo e quatro na fase Delta.

“Desses seis meios aéreos, três são meios nacionais, normalmente um helicóptero pesado sediado em Santa Comba Dão e dois aviões bombardeiros médios sediados em Viseu”, acrescentou.

Lúcio Campos considerou ser “reconfortante” saber que, em caso de necessidade, há mais meios aéreos nos distritos vizinhos que podem rapidamente atuar, nomeadamente dois aviões bombardeiros pesados em Seia (distrito da Guarda) e dois aviões bombardeiros médios em Vila Real.

O Rio Douro e as barragens do Vilar, de Ribeiradio/Ermida, de Fagilde e da Aguieira são os cinco pontos de água disponíveis no distrito.

O distrito de Viseu tem 24 concelhos, ocupando os espaços florestais cerca de 40% do território.

“Há zonas onde o terreno é de muito difícil acesso e acidentado, o que torna o distrito de Viseu particularmente difícil e complexo no combate aos incêndios florestais”, referiu Lúcio Campos.

No entanto, as ocorrências “têm vindo a diminuir nos últimos anos” e, “de todos os incêndios, 88% são dominados antes de chegar aos 90 minutos”, considerando o CODIS que há “margens de manobra para melhorar”.

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, admitiu que “o distrito de Viseu é complexo” e congratulou-se por, mesmo assim, Lúcio Campos ter manifestado disponibilidade para ajudar outros distritos.

“Um distrito com esta dimensão, com o número de ignições e incêndios que tem e com toda a capacidade instalada, ainda consegue ter margem para ajudar outros distritos. E, de facto, bem preciso é, porque também temos alguns distritos que não têm essa capacidade”, frisou.

Fonte: Notícias ao Minuto

Commentários

Commentários