DECIF: Existem Alterações Para 2017

Publicidade
Publicidade

Acabou há momentos, na Lousã, a apresentação pública do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) 2017 que contou com várias entidades, entre elas o Secretário de Estado da Administração Interna, o presidente da Liga de Bombeiros Portugueses, o Comandante Nacional Operacional entre outros responsáveis pertencentes às mais diversas forças que intervém no DECIF.

Existem algumas alterações operacionais de relevo a registar, que foram anunciadas pelo Comandante Nacional Operacional (CONAC).

O BPS deixa-lhe aqui em primeira mão, as principais alterações:

  • O DECIF contará com 10 Grupo de Reforço a Ataque Ampliado (GRUATA) constituídos por Bombeiros Voluntários, 1 GRUATA da Força Especial de Bombeiros, 3 Companhias de Reforço a Incêndios Florestais (CRIF), 3 Grupo de Análise e Uso de Fogo (GAUF), 18 Grupo de Reforços a Incêndios Florestais (GRIF) e 2 GRIF (composta por elementos profissionais dos Sapadores da região do Porto e Lisboa) para o inter-face urbano/florestal;
  • Existem 25 autocarros de corporações, 220 de câmaras municipais e 48 privados para efectuar, o transporte dos bombeiros. Em alguns casos, quando possível, irão viajar de comboio;
  • O primeiro despacho de meios operados pelos CDOS, tem o tempo máximo de 2 minutos, incluindo aeronaves;
  • A nível alimentar, as primeiras 24h dos GRUATAS e GRIF serão assegurados com ração de combate;
  • As CRIF serão pré-posicionadas nos Distritos de Viana do Castelo, Vila Real e Braga;
  • Existirá um helicóptero de coordenação em TO onde estejam vários meios aereos actuar de forma a operacionaliza-los da maneira mais eficaz;
  • Existirão na Fase Bravo 6600 operacionais, na Fase Charlie 9740 e na Delta 5518;
  • Estarão prontos a responder 47 meios aereos e mais 1 de coordenação. A Afolceca disponibiliza também 3 meios aereos;
  • O ataque ampliado e respectivo reforço de meios pode ser accionado antes de decorridos os 90 minutos do ataque inicial;
  • A GNR terá à sua responsabilidade 231 postos de vigia que trabalharão 24h por dia, com recurso a 924 vigilantes contratados. Vão estar também disponíveis 6 postos de vigias particulares.

Quando for possível, o BPS disponibilizará a Directiva Operacional Nacional que regulamenta o funcionamento do DECIF 2017.

Commentários

Commentários