Incêndios: Liga Saúda Bombeiros que Asseguram Fase Bravo

Publicidade
Publicidade

A Liga dos Bombeiros Portugueses saudou as dezenas de milhares de bombeiros que irão assegurar a grande maioria das intervenções relativas à primeira fase do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF), que hoje se iniciou.

“A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) saúda as dezenas de milhares de bombeiras e bombeiros que irão assegurar, de novo, a esmagadora maioria das intervenções, seja nas suas localidades e concelhos, seja integrados em grupos de combate que irão circular pelo país em reforço das estruturas ali existentes”, refere a LBP, em comunicado.

A Liga, presidida por Jaime Marta Soares, saúda também os restantes operacionais, de várias entidades, que se juntarão aos bombeiros na “difícil tarefa de preservar e defender pessoas e bens, com particular incidência na defesa do ambiente, do bem-estar e da salvaguarda da vida” de quem vive e trabalha nos vários distritos e concelhos do país.

Com o arranque hoje, da primeira fase do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) “fica de novo claro que os bombeiros são, sem margem para dúvida, a mola real, o pilar fundamental e a componente maciça e muito qualificada desse dispositivo e, em geral, da Proteção Civil”.

Os bombeiros portugueses, mais uma vez, vão dar continuidade à sua missão de combater “com afinco e abnegação os incêndios florestais, de que, aliás, já deram mostras nas muitas ocorrências já registadas este ano”.

A época oficial de incêndios florestais começou hoje, depois de um inverno e de uma primavera com cerca de seis mil fogos e uma área ardida superior a 11 mil hectares.

A época de incêndios começa com a fase Bravo, a segunda mais crítica, e vai mobilizar, até 30 de junho, 1.561 equipas compostas por 6.607 operacionais e 1.514 viaturas, segundo o DECIF de 2017.

No próximo mês e meio vão estar ainda operacionais 32 meios aéreos e 72 postos de vigia da responsabilidade da Guarda Nacional Republicana.

O DECIF deste ano tem como novidades um reforço de meios para combate a incêndios florestais nos distritos de Braga e Viana do Castelo, colmatando assim uma deficiência sentida em 2016.

O dispositivo deste ano conta também com a integração de uma força com 1.380 militares, que receberam formação específica para participar nas ações de rescaldo e vigilância do rescaldo, de forma a libertar os bombeiros para outras operações.

Outras das novidades passa pela inclusão de um helicóptero de coordenação, destinado a ações de coordenação aérea e reconhecimento.

A época de incêndios termina a 15 de outubro e os meios de combate estarão na sua capacidade máxima entre 01 de julho e 30 de setembro, a chamada “fase Charlie”.

Para esta fase, considerada a mais crítica, vão estar envolvidos 9.740 operacionais e 2.065 viaturas, apoiados por 48 meios aéreos e 236 postos de vigia.

Fonte: http://www.dn.pt/lusa/interior/incendios-liga-sauda-bombeiros-que-asseguram-fase-bravo-8478150.html

Commentários

Commentários