INEM Recusa Acusações

Publicidade
Publicidade

Tendo em conta a informação hoje noticiada que dá conta que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) terá demorado 41 minutos a socorrer um ferido grave no Algarve, importa prestar os seguintes esclarecimentos: 

O Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM recebeu, no passado dia 27 de julho, às 17h52, um pedido de ajuda para uma única vítima resultante de uma acidente de viação, que estaria encarcerada. No imediato, o INEM acionou a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Barlavento Algarvio, o Motociclo de Emergência Médica de Portimão e uma Ambulância dos Bombeiros Voluntários (BV) de Lagoa. 

A VMER, viatura tripulada por uma equipa altamente diferenciada, um Médico e um Enfermeiro, após chegar ao local do acidente, iniciou a avaliação das vítimas às 18h10, prestando-lhes todos os cuidados de saúde necessários. No local encontrava-se também a tripulação dos BV Lagoa (a primeira a chegar, ainda antes da VMER) e do Motociclo de Emergência do INEM que contribuíram para a prestação dos cuidados de saúde necessários. Nesse momento, o CODU é informado que existem mais 4 vítimas ligeiras, informação que em momento algum foi transmitida no pedido de ajuda inicial. 

Às 18h17 o CODU recebeu informação que a Ambulância dos BV Lagoa ficou inoperacional no local, por furo num dos pneu. 

Às 18h19 o CODU aciona a Ambulância de Emergência Médica do INEM de Portimão (para substituir a ambulâncias dos BV Lagoa) e as Ambulâncias dos BV de Portimão, dos BV de Silves e da CVP de Silves para transporte à Unidade Hospitalar. 

Importa assim referir que as vítimas resultantes do acidente receberam muito rapidamente toda a assistência médica e estabilização clínica necessárias por parte das equipas que foram acionadas pelo INEM para o local, incluindo da equipa altamente diferenciada ao serviço da VMER do Barlavento Algarvio. Apenas o transporte para a Unidade Hospitalar foi realizado faseadamente, conforme foram chegando ao local as Ambulâncias acionadas pelo CODU. 

Não corresponde por isso à verdade que o INEM tenha demorado 41 minutos a socorrer um ferido grave, estranhando este Instituto como pode um Órgão de Comunicação Social tirar esta conclusão dos esclarecimentos que aqui prestamos e que fizemos chegar ao jornalista em tempo útil. Aliás, a leitura atenta da notícia permite concluir que a manchete é completamente falsa, colocando em causa o INEM e o trabalho dos seus profissionais. 

Commentários

Commentários