INEM Garante Que Socorro Está Garantido e É Falso que Esteja à Beira da Ruptura

Publicidade
Publicidade

Ainda a propósito da informação noticiada pelo Correio da Manha (veja aqui) e que dá conta que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) se encontra sem meios de emergência no mês de agosto, aquela entidade esclarece através de um comunicado remetido ao BPS:

O INEM garante assim que “a operacionalidade de um número reduzido relativamente ao total de turnos de Ambulâncias do INEM está dependente da disponibilidade dos Técnico de Emergência Pré-Hospitalar (TEPH) do INEM realizarem turnos em trabalho extraordinário, disponibilidade esta que o INEM tem que enaltecer porque tem contado com uma inestimável colaboração dos seus trabalhadores.  Esta é uma questão que está a ser resolvida com a contratação dos novos TEPH, decorrendo um procedimento para contratação de 100 TEPH sendo previsível que o procedimento seja concluído até final de novembro de 2017″.

Porem, diz o instituto que “a informação vinda a público não corresponde, infelizmente e uma vez mais, à verdade. Os dados avançados dizem respeito a uma escala de trabalho que é dinâmica e que ainda não contempla os turnos de trabalho extraordinário que o INEM vai preenchendo ao longo do mês”, por isso, “para manter em funcionamento as 56 Ambulâncias de Emergência Médica do INEM nos atuais horários de funcionamento de 24 h, 16h e 8h, seriam necessárias 36.456 horas (4.557 turnos).”

No que concerne aos “períodos de inoperacionalidade registados entre os meses de maio e junho de 2017 por falta de TEPH representam apenas 1,7% de inoperacionalidade.”

Para finalizar, o INEM puxa dos números e mostra que o Sistema Integrado de Emergência Médica “é composto por um conjunto muito alargado de meios de emergência, encontrando-se ao serviço das populações, atualmente, um total de 623 meios de emergência“, a saber:

  • 56 Ambulâncias de Emergência Médica do INEM
  • 317 Ambulâncias do INEM em Corporações de Bombeiros (Protocolo – Postos PEM)
  • 155 Ambulâncias de Corporações de Bombeiros ou Delegações da CVP que o INEM utiliza para resposta a emergências médicas (Protocolo – Postos Reserva)
  • 8 Motociclos de Emergência Médica
  • 39 Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida
  • 44 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação
  • 4 Helicópteros de Emergência Médica

Quanto ao facto de o INEM marcar presença na Conferência de Ministros da Juventude e Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, o “Instituto recorda que decorre da sua missão a proteção à Saúde de Altas Individualidades. Neste caso específico a equipa do INEM, para além de dois TEPH que apresentaram a sua disponibilidade para realizar este serviço, foi composta por um médico e um enfermeiro, profissionais do INEM que não prestam serviço nas AEM do INEM e nunca poderiam assegurar qualquer turno que estivesse por preencher.”

Em relação aos meios de emergência médica no Algarve, o INEM não compreende como pode ser afirmado que “nunca aconteceu o aumento de meios no Algarve quando o Instituto, desde 2015, tem reforçado o dispositivo de meios de emergência durante o verão, sendo que esse reforço foi ainda maior este ano dada a previsão de maior afluência de turistas à região” e afiança que este “reforço de meios consubstancia-se em 2017 com a disponibilidade, desde junho, de mais sete Ambulâncias e dois Motociclos que se juntam aos 37 meios de emergência que funcionam em permanência ao longo de todo o ano.  Desde o dia 1 de agosto, o dispositivo foi ainda mais reforçado com a entrada em funcionamento de três ambulâncias e um motociclo.”

Commentários

Commentários