LBP: Nota à Comunicação Social

Publicidade

Incêndio de Pedrógão Grande – Bombeiros lançam perguntas e querem respostas

Publicidade

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) enviou hoje ao Presidente da República, aos Grupos Parlamentares, ao Governo, à Comissão Independente criada para estudar o incêndio de Pedrógão Grande e à Universidade de Coimbra (ADAI) uma bateria de perguntas para as quais quer respostas a propósito do sucedido. “Ajudem-nos a entender porquê” é o título desse conjunto de questões, 28 no total, que a LBP considera fundamental formular para que se possam tirar conclusões rigorosas sobre o ocorrido em Pedrógão Grande.

Reproduzem-se, a seguir, na íntegra, as perguntas formuladas pela LBP para as quais se exigem respostas “urgentes, claras, concretas e objectivas”.

Gabinete de Crise, de Contactos e Informações

  1. a) Foi instalado algum gabinete?
  2. b) Se não foi instalado, qual a razão?
  3. c) Foi definido algum modelo de comunicação?
  4. d) Quem era o responsável pela organização do gabinete e “controlo” dos Órgãos de Comunicação Social?
  5. e) Se instalado, teria havido tanta anarquia e desorganização?

 

Como e quem fez a recepção às individualidades presentes?

  1. a) Presidente da República, Membros do Governo, Autoridades Militares e Civis, Presidentes de Câmara/Juntas de Freguesia, outros?
  2. b) Que tipo de informações foram solicitadas? Que respostas?
  3. c) A visita destas individualidades consta na fita do tempo?

 

Posto de Comando

  1. a) Por quem foi instalado?
  2. b) Quem assumiu o COS?
  3. c) Quem fez a avaliação inicial do incêndio?
  4. d) Qual foi a estratégia inicial delineada?
  5. e) Que razões levaram à instalação do Posto de Comando em Pedrogão Grande?
  6. f) Porque foi transferido o Posto de Comando para Avelar?
  7. g) Que razões objectivas e operacionais o exigiam ou justificavam?
  8. h) Qual a razão da requisição de quadros de comando de regiões tão distantes do TO?
  9. i) Estavam esgotados todos os meios de comando das proximidades?

 

Accionamento do Meios de Socorro

  1. a) Por quem foram accionados?
  2. b) Hora de chamada – Tempo de saída?
  3. c) Foram activados meios aéreos de coordenação? Houve um revis inicial?
  4. d) Manteve-se permanentemente no ar um hélio de coordenação?
  5. e) Quantos meios aéreos estiveram empenhados nas primeiras horas do incêndio?
  6. f) Máquinas de rasto, foram accionadas? Se foram? A que hora começaram a operar?

Resposta do CDOS

  1. a) Que contactos? Que informações? Que soluções?
  2. b) Hora de chegada ao posto de comando do primeiro elemento da sua estrutura operacional?
  3. c) A partir daí foi o comando constituído e assumido por quem?
  4. d) Após instalação que alterações foram operadas? Houve alterações significativas?
  5. e) O incêndio ao momento estava sobre controlo? Na passagem de testemunho foi feito algum ponto de situação?

Resposta da ANPC/CNOS

  1. a) O Presidente da ANPC esteve presente? Hora de chegada ao TO?
  2. b) O CONAC esteve no TO? Hora de chegada ao TO?
  3. c) Que tipos de contactos foram estabelecidos?
  4. d) A que hora, de que forma e de que modo?
  5. e) Se estiveram presentes, que alterações foram operadas?
  6. f) Se não estiveram presentes, qual a razão?

Assumiu a ANPC/CNOS o Comando?

  1. a) Quem assumiu o comando? A que horas?
  2. b) Que veículos foram utilizados para a instalação do posto de comando, CETAC ou VPCC?
  3. c) A que horas chegou a viatura de comando da ANPC?
  4. d) A que horas assumiu o segundo CONAC o comando?
  5. e) Perante o cenário que encontrou, que decisões ou estratégias imediatas foram implementadas?

Porque demorou tanto tempo a definição de sectores?

  1. a) Quem definiu os sectores e quais os critérios?
  2. b) Porque estiveram os Grupos de Reforço tanto tempo parados sem que lhes fossem dadas orientações de actuação?
  3. c) Estando povoações em perigo, porque não foram dadas indicações para avançar de imediato na defesa dessas povoações?
  4. d) Porque razão é que a decisão e respectiva comunicação foram tão lentas e demoradas?
  5. e) A quem atribuir responsabilidades, se existiram?

 

Evacuações?

  1. a) A que horas se iniciaram?
  2. b) Quando foi accionada a abertura dos Centros de Saúde?
  3. c) Como foi feito esse accionamento? E através de quem?
  4. d) Quanto tempo demorou a sua entrada em funcionamento?
  5. e) Se porventura o accionamento foi tardio, que consequências?
  6. f) Porque razão é que o Bombeiro (ferido grave) só chegou cerca de 9 horas depois ao hospital?
  7. g) Estiveram retidas ambulâncias nos centros de saúde? Se estiveram, qual a razão? Consequências?

 

 Planos Municipais de Emergência:

  1. a) Pedrogão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos, tinham planos? Foram accionados?
  2. b) Que dia, a que horas? Ou não foram accionados?
  3. c) Se foram accionados, responderam cabalmente?
  4. d) Se não foram, houve consequências objectivas?
  5. e) Os responsáveis autárquicos foram atempadamente informados da gravidade da situação?

 

Existem nestes Municípios POM – Planos Operacionais Municipais e respectivos GTF’s – Gabinetes Técnicos Florestais

  1. a) Cumprem a Lei, estão actualizados?
  2. b) Foram realizadas periodicamente reuniões de parceiros? Há propostas de emergência específicas para as zonas mais criticas?
  3. c) Existem Kits de combate a incêndios nas povoações?
  4. d) Existem Balsas de Água (tanques) para apoio ao combate?
  5. e) Foram feitos testes ou exercícios com as populações?
  6. f) Foram divulgadas informações às populações de como proceder em caso de incêndio?
  7. g) Se porventura não existiam essas infra-estruturas, que consequências daí resultaram?

 

A que horas do dia 17-06-2017 chegaram as Forças de Segurança?

  1. a) Polícia Judiciária;
  2. b) GNR;
  3. c) Polícia de Segurança Pública;
  4. d) Polícia do Exército, Marinha e Força Aérea;
  5. e) Cumpriram todos cabalmente as suas funções?

 

Que forças estiveram no TO das 14h43 de 17/06/2017 até às 20h00 do dia 18/06/2017? Quantos operacionais? Quantos equipamentos? Quantas viaturas?

  1. a) Bombeiros Voluntários;
  2. b) Bombeiros Sapadores – Outros Profissionais Bombeiros
  3. c) Força Especial de Bombeiros (FEB)?
  4. d) GIPS;
  5. e) Militares (rescaldo)
  6. f) Equipas Sapadores Florestais.
  7. g) INEM
  8. h) Cruz Vermelha Portuguesa

 

 Forças Armadas

  1. a) Quantos oficiais dos vários ramos?
  2. b) Quantos Generais e Almirantes?
  3. c) Quantos subalternos?
  4. d) Que equipamentos por arma?
  5. e)Total de efectivos presentes, de todos os ramos?
  6. f) Qual o papel dos oficiais Generais e Subalternos no teatro de operações?

 

A que horas do dia 17-06-2017 claudicou o SIRESP?

  1. a) A que horas foram solicitadas antenas móveis?
  2. b) A quem foram solicitadas?
  3. c) A que horas chegaram ao TO?
  4. d) E que dia e hora foi restabelecido o sistema?
  5. e) Que influência pode ter tido a falta de comunicações (SIRESP) nas mortes ocorridas na via 236-1?
  6. f) Quem são os responsáveis pelas antenas móveis e sua manutenção?

 

INEM

  1. a) A que horas foi accionado?
  2. b) A que horas chegou ao TO?
  3. c) Quantas viaturas, quantos operacionais? Médicos, Enfermeiros e outros?
  4. d) Quando foi desmobilizado?
  5. e) Que funções específicas exerceram?
  6. f) Participaram na identificação e recolha dos cadáveres?

 

Polícia Judiciária

  1. a) Que dia e a que hora chegaram ao TO?
  2. b) A que hora foi declarada as causas do incêndio?
  3. c) Quantas horas estiveram empenhados na investigação?
  4. d) Há quanto tempo decorriam investigações por suspeitas de fogo posto na zona do incêndio?
  5. e) Concretamente, quais são as possíveis causas do incêndio? Natural, Criminosa, Outra?
  6. f) Estiveram presentes Inspectores da Polícia Judiciária Cientifica?
  7. g) Qual foi a sua principal função?
  8. h) Foi a entidade responsável pela identificação e recolha dos cadáveres?

 

IPMA

  1. a) Face aos avisos emitidos quais as medidas operacionais de antecipação foram tomadas? Quando e por quem?
  2. b) A que dia e hora foi colocada no seu site o 1.º relatório meteorológico referente às descargas eléctricas no local do início do incêndio?
  3. c) A que horas foi retirado este relatório do site? Porque razão?
  4. d) Estão em condições de assumir ou não que o incêndio teve origem em causas naturais?
  5. e) Foram permanentemente emitidas informações sobre as alterações climatéricas?

 

Perante uma tão grande área de floresta contínua, sem linhas de corta-fogo, sem balsas de água, sem mosaico florestal, pergunta-se:

  1. a) Que planos/projectos foram aprovados para aquele perímetro e porque entidades?
  2. b) Houve fiscalização por parte das autoridades do sector?
  3. c) O que tem sido feito naquela região em termos de ordenamento florestal?
  4. d) Existem Associações do sector? Há ZiF’s constituídas?

Postos de Vigia / Detecção

  1. a) Quantos estavam a funcionar dia 17, na zona do incêndio de Pedrogão Grande e conselhos limítrofes?
  2. b) Desde que horas?
  3. c) Qual a sua localização?
  4. d) Horário de funcionamento?
  5. e)Tem horário de encerramento?
  6. f) Tem Operadores com formação adequada?
  7. g) Informaram os Bombeiros do início do incêndio?
  8. h) Quem é a entidade responsável por estas estruturas?

 

As bermas das estradas e caminhos da responsabilidade das concessionárias e das Câmaras Municipais, respeitavam as distâncias de contenção?

  1. a) Estão salvaguardadas as distâncias de Lei?
  2. b) Junto às vilas, aldeias e habitações isoladas?
  3. c) Junto aos parques industriais, comerciais e outros?
  4. d) Não estando presumivelmente a Lei a ser cumprida, quem são os responsáveis?
  5. e) A estrada nacional 236-1 cumpria as normas legais de limpeza das bermas?

 

Queda do Meio Aéreo Canadair

  1. a) Quem informou da queda da aeronave?
  2. b) Quem era o responsável pelo controle das aeronaves e respectivas comunicações?
  3. c) Quem difundiu a notícia? Qual a sua origem?
  4. d) Qual é a responsabilidade da ANPC na área da Comunicação e Informação global?

O porquê da alteração estrutural das zonas envolventes aos postos de comando, Pedrogão Grande e Avelar, operados na passagem de testemunho do comando das operações?

  1. a) O que estava instalado pelo 2.º CONAC não respondia às exigências de um bom funcionamento?
  2. b) Se não estava de acordo com as regras de bom funcionamento porque não foi feita a instalação adequada às necessidades, desde o início?
  3. c) Quais as razões técnicas/operacionais que motivaram estas alterações?
  4. d)Quem foi o responsável pelas alterações e o porquê?
  5. e)Estava tudo mal? Passou a ficar tudo bem? Existe relatório circunstanciado?

 

 Acidente com viatura de Bombeiros

  1. a) Em que situação ocorreu o abalroamento da viatura dos Bombeiros de Castanheira de Pêra?
  2. b) Existem elementos concretos que permitam uma avaliação fidedigna.
  3. c) Está expurgada a hipótese de, e logo que possível (e se possível), ouvir os Bombeiros envolvidos no acidente.
  4. d) Já foi feita alguma avaliação técnica?

 

Quando se iniciou a desmobilização de meios?

  1. a) Já estavam concluídas todas as missões ou necessidades urgentes e emergentes?
  2. b) Cruz Vermelha Portuguesa;
  3. c) INEM;
  4. d) Forças Armadas;
  5. e) GNR;
  6. f) Outras.

 

Vítimas do Incêndio

  1. a) Quantos mortos por intervenção directa?
  2. b) Quantos mortos por intervenção indirecta?
  3. c) Quantos feridos?
  4. d) Quantos desaparecidos?
  5. e) Identificação e residência de todas as vítimas. (sexo, idade e profissão)
  6. f) Avaliação da motivação do abandono de local seguro pelo incerto e inseguro?
  7. g) Tinham seguros de vida ou de acidentes pessoais?

 

O que pode concluir-se destas interrogações?

  1. a) Falência do Sistema de Protecção Civil?
  2. b) Ausência de coordenação?
  3. c) Incompetência de Comando?
  4. d) Falta de organização da floresta? Planeamento, ordenamento?
  5. e) Falta de políticas concretas para o sector florestal e agrícola?
  6. f) Irresponsabilidade colectiva
  7. g) Falência do Estado.

 

Incêndio de Pedrogão Grande

Se as nossas questões/objecções têm razão de ser?!

QUEREMOS RESPOSTAS URGENTES, CLARAS, CONCRETAS E OBJECTIVAS!

Lisboa,  2 de Agosto de 2017

O Presidente do Conselho Executivo
Jaime Marta Soares
Comandante

Commentários

Commentários