Bombeiros Falam em Falta de Planeamento. Proteção Civil Responde

Publicidade
Publicidade

Entretanto os fogos voltaram a lavrar em Portugal. E este domingo o presidente da Liga de Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, veio lamentar que não tenha havido “um planeamento como devia ser”, nem “uma prevenção estratégica”, depois de a Liga dos Bombeiros Portugueses ter alertado que “não pode existir uma ‘décalage’ tão grande da fase Charlie e a fase Delta”.

Em causa está a redução de “85% dos meios [humanos e materiais] de combate” aos incêndios na passagem da fase Charlie para a fase Delta, determinado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), quando a Liga defendia somente uma redução “entre os 30% e 40%”.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil já veio responder. À TSF a entidade garantiu que o planeamento dos meios teve em conta as condições meteorológicas adversas previstas e que foram criadas 50 Equipas de Combate a Incêndios dos Corpos de Bombeiros, em funções desde o dia 1 de outubro.

Além dessas equipas é possível, como aconteceu nos últimos dois dias, acrescentou ainda a Proteção Civil, mobilizar outros grupos de reforço vindos de distritos com menos ocorrências, o que cria a “flexibilidade necessária para responder a situações de maior exigência”.

A fase Charlie de combate aos fogos terminou a 30 de setembro e a fase Delta dura o mês de outubro.

Fonte: http://observador.pt/

Commentários

Commentários