Voluntários de Setúbal: “A Ferro e Fogo”

Créditos da Foto: Strob.pt
Publicidade
Publicidade

Os Bombeiros Voluntários de Setúbal e a Cruz Vermelha Portuguesa de Setúbal enfrentam sérios problemas operacionais depois de no inicio do ano o Comandante dos Bombeiros, Ex-Arbitro de Futebol e um dos responsáveis pelo Video Arbitro, João Ferreira ter apresentado a sua exoneração, evocando motivos profissionais, deixando no seu lugar a actual 2º Comandante Isabel Ferreira.

Também no início do ano decidiu a Direcção da Cruz Vermelha de Setúbal afastar o Coordenador Local de Emergência, João Rodrigues.

Nos Bombeiros Voluntários de Setúbal o impacto é crescente com ambulâncias inoperacionais por falta de recursos humanos, estando de piquete 2 a 3 voluntários, uma vez que os restantes voluntários já teriam demonstrado em reunião de corpo activo a vontade de ver afastada do Comando a actual Comandante em substituição.

Também na Cruz Vermelha Portuguesa de Setúbal o número de turnos em que os meios se encontram inoperacionais é elevado no período nocturno, tendo os voluntários optado por esta forma de protesto contra o afastamento do Coordenador Operacional de Emergência.

O Socorro à população tem sentido atrasos significativos com a mobilização frequente de ambulâncias dos Corpos de Bombeiros dos Concelhos do Barreiro, Palmela e Sesimbra, uma vez que os meios que o INEM dispõe na cidade evidenciam ser insuficientes para as solicitações, tendo levado nos últimos dias a situações de despacho de meios mais de uma hora depois do alerta.

No passado dia 7, um acidente num dos acessos à Serra da Arrábida obrigou à mobilização de ambulâncias dos Corpos de Bombeiros de Palmela e Pinhal Novo tendo os feridos graves sido transportados para os Hospitais do Barreiro e Garcia de Orta, por incapacidade de resposta tanto dos Bombeiros de Setúbal como por parte da Cruz Vermelha Portuguesa de Setúbal, evidenciando o risco que os Setubalenses neste momento enfrentam!

In Distrito Online

Créditos da foto: página oficial do BVS na rede social Facebook

Entretanto a direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal exerceu seu direito de resposta

Publicou o jornal online Distrito Online, no passado dia 12 de janeiro de 2018, uma notícia sobre os Bombeiros Voluntários de Setúbal que, além de carecer de rigor, padece do grave defeito de não registar a posição da direção da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Setúbal nem do comando do corpo de bombeiros por esta detida.

Assegura a notícia publicada em http://www.distritonline.pt/sociedade/2499-socorro-em-risco-no-concelho-de-setubal no seu título que o “Socorro está em risco no concelho de Setúbal” e que, os “Bombeiros Voluntários de Setúbal e a Cruz Vermelha Portuguesa de Setúbal enfrentam sérios problemas operacionais depois de no inicio do ano o Comandante dos Bombeiros, Ex-árbitro de Futebol e um dos responsáveis pelo Vídeo Arbitro, João Ferreira ter apresentado a sua exoneração, evocando motivos profissionais, deixando no seu lugar a atual 2º Comandante Isabel Ferreira”. Acrescenta-se, de seguida, que, “nos Bombeiros Voluntários de Setúbal o impacto é crescente com ambulâncias inoperacionais por falta de recursos humanos, estando de piquete 2 a 3 voluntários, uma vez que os restantes voluntários já teriam demonstrado em reunião de corpo ativo a vontade de ver afastada do Comando a atual Comandante em substituição”.

Nem o socorro está em causa no concelho nem existem “sérios problemas operacionais”, e muito menos existem “ambulâncias inoperacionais”, além daquelas que, por naturais avarias, são forçadas a parar para reparações. Afirmar que o socorro está em causa no concelho de Setúbal é desconhecer, por completo, o sistema municipal de socorro, constituído, além dos bombeiros voluntários, por uma companhia de bombeiros profissionais, a Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, detida pela Câmara Municipal de Setúbal, que, em conjunto, assegura a prestação do socorro em Setúbal.

Todos estes aspetos poderiam ser esclarecidos caso a publicação Distrito Online tivesse contactado a AHBVS, que teria também esclarecido que está em fase de procura e nomeação de um novo comandante, depois da exoneração a seu pedido do comandante João Ferreira.

A notícia, além de alarmista, peca por falta de rigor, assim como por ausência do exigível contraditório, que, com todo o gosto, seria prestado pela direção da AHBVS.

Paulo Anjos
Vice-presidente da AHBVS

In Distrito Online

Commentários

Commentários