Comunicado: ANBP/SNBP Reúnem-se em Conselho Geral para Tomadas de Posição

Publicidade

ANBP/SNBP reúnem-se em Conselho Geral para tomadas de posição

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais e o Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais estão hoje reunidos em Conselho Geral para assumir uma tomada de posição face às últimas medidas anunciadas pelo governo para o sector.

ANBP/SNBP não entendem a razão pela qual não foram chamados pelo Ministério da Administração Interna para a mesa de negociações para resolver assuntos relacionados com os bombeiros e estão indignados com o facto de apenas a Liga dos Bombeiros Portugueses estar a ser ouvida.

Entendemos que a reforma que o Governo estará a tentar implementar no sector carece das contribuições de todos, sobretudo dos que legitimamente representam as classes profissionais ligadas ao sector da Protecção Civil.

ANBP/SNBP representam os bombeiros sapadores e municipais, profissionais das associações humanitárias, bombeiros da Força Especial de Bombeiros,bombeiros privativos e profissionais do CNOS e do CDOS da ANPC pelo que não entendemos não termos sido chamados para darmos a nossa contribuição.

Face a esta postura do governo perante ANBP/SNBP, resta-nos questionar se esta não ficará a dever-se ao facto de termos sido considerados como “incómodos”, por continuarmos a bater-nos por questões de fundamental importância para o sector.

Entre elas, e a que será a espinha dorsal de todas as outras, a necessidade URGENTE do estatuto profissional do bombeiro. Depois de várias “manobras de diversão” protagonizadas pela antiga equipa do Ministério da Administração Interna (com propostas legislativas que subvertiam todas as intenções dos bombeiros profissionais), sucedeu-se uma garantia de que iriam ser apresentadas novas propostas e depois disso um enorme silêncio!

Será, porventura, devido à nossa exigência do Estatuto Profissional do Bombeiro, que não somos chamados para sermos ouvidos?Ou será porque estamos a exigir uma carreira para o pessoal que presta serviço na ANPC (FEB, profissionais do CDOS e do CNOS)?

Quais serão as reais intenções do governo, quanto ao futuro dos bombeiros profissionais, quando vimos o executivo  a lançar outras forças de segurança no combate aos incêndios?

Por outro lado, porque razão se está a investir no reforço dessas mesmas forças de segurança que estão a ser desviadas para outras funções fora da sua orgânica, quando há corpos de bombeiros profissionais que precisam de ser reforçados para desempenharem a sua missão?

Numa altura em que tanto se fala na importância da profissionalização e em que se estão a reforçar as equipas de bombeiros profissionais nas Associações Humanitárias de Bombeiros, não se entende porque razão não estão a ser ouvidas as ÚNICAS ESTRUTURAS LEGITIMADAS PARA FALAR PELOS BOMBEIROS PROFISSIONAIS, ou seja, ANBP/SNBP.

Será que não nos querem ouvir por saber que vamos contestar a solução arranjada pelo governo, que atrás desta “profissionalização” esconde trabalho precário, a prazo, sob a égide do DECIF?

E onde vão estar contemplados os seguros dos acidentes pessoais, a assistência médica, a consideração da profissão como sendo de desgaste rápido? Para quando a resolução destas incongruências que em nada beneficiam a actividade profissional dos bombeiros?

ANBP/SNBP têm vindo a negociar estas reivindicações com sucessivos governos que nada mais apresentaram do que promessas de propostas legislativas, mas até agora, NADA.

É tempo de dizer BASTA e sair mais uma vez para a rua lutar pela dignificação da profissão!

Iremos continuar a defender a classe que representamos, mesmo que nos queiram IGNORAR ou CALAR!

Commentários

Commentários