Comunicado: FNBP Exige ao Governo Espaço de Reivindicação Igual ao da LBP

Publicidade

FNBP exige ao governo espaço de reivindicação igual ao da LBP

A Federação Nacional de Bombeiros Portugueses tem acompanhado as recentes decisões do Ministério da Administração Interna sobre assuntos relacionados com bombeiros voluntários e profissionais. Manifesta, assim, indignação e incompreensão pelo facto de em nenhum momento ter sido solicitada a presença nem da FNBP, nem da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais nem da Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários.

As negociações têm vindo a ser feitas ouvindo apenas a Liga dos Bombeiros Portugueses, que representa as Associações Humanitárias/entidade patronal, e que não defende os legítimos interesses dos bombeiros, o que consideramos lamentável e merecedor do nosso veemente protesto.

Passar a ideia de profissionalização dos bombeiros é falso, quando na realidade se trata de trabalho precário a prazo, quando é criada uma assimetria incompreensível nos pagamentos aos elementos que integram o DECIF. Os bombeiros portugueses, continuam com um seguro de acidentes pessoais miserável e humilhante, sem contagem de tempo para efeitos de aposentação.

Esta Federação é uma união de esforços entre a ANBP e a APBV no sentido de reivindicar medidas e organização estruturante para os bombeiros, e não apenas medidas avulsas, que se tomam de forma repentina e a colmatar necessidades do momento.

Continuamos a defender:

  • Fundo Social do Bombeiro– O apoio deve ser mais célere aos bombeiros
  • Reformas para os Bombeiros Profissionais e Voluntário– Manutenção da percentagem/bonificação do tempo despendido pelos bombeiros para efeitos de aposentação que são pagos pelos bombeiros
  • Profissão/Atividade de desgaste rápido para os Bombeiros Profissionais e Voluntários– Considerar como tal, devido aios horários rotativos, exposição à fadiga física e mental, bem como à exposição vários tipos de riscos.
  • Seguros– O valor das coberturas não garante as necessidades dos bombeiros
  • Assistência médica- A periodicidade de 2 em 2 anos não responde à actividade regular desenvolvida pelos bombeiros.
  • ENB– Proporcionalidade de participação da ANBP, da APBV e da LBP, já que a gestão da ENB e feita com recurso a fundos públicos.

A FNBP quer estar no mesmo patamar de direitos e obrigações que o Estado dá à Liga de Bombeiros Portugueses.

A FNBP exige ser ouvida e fazer parte de todos os órgãos consultivos/decisão em matéria de legislação de bombeiros, tal como o que acontece com a LBP. A FNBP não pretende ser uma força de oposição, mas sim de colaboração.

O governo e a tutela têm que ouvir as estruturas representativas dos bombeiros, deixando de uma vez por todas, de ter em atenção somente a entidade que representa o « patrão », em vez de zelar pelos homens e mulheres que todos os dias cuidam dos portugueses e dos seus bens.

Commentários

Commentários