BV Azambuja – Infantes e Cadetes no Dia Aberto na Escola de Fuzileiros

Publicidade

Decorreu no dia 17 de Março um dia dedicado a formação de Jovens no contexto da divulgação e permuta de conhecimentos no âmbito da cultura, cidadania e saúde e bem-estar.

A Escola de Fuzileiros abriu as suas portas para o grupo de jovens cadetes e infantes e suas formadoras dos Bombeiros Voluntários de Azambuja.

Após apresentação do projeto pioneiro das forças Armadas junto das escolas, pela Reservista Helena Maciel a frequentar o curso de formação inicial de Bombeiro, os Bombeiros Voluntários de Azambuja, na pessoa da Coordenadora Iva Silva mediante o planeamento “calendário de formação “revelaram interesse num intercambio formativo entre uma unidade militar e sua escola de infantes e cadetes de Azambuja.

No ano que se comemora o centenário do fim da Grande Guerra a Escola de Fuzileiros está a formar uma unidade de cadetes Fuzileiros (6 elementos) que está a estudar a importância do direito internacional, o papel dos equilíbrios entre estados e como é decisivo manter a paz entre as nações. Quais as principais ameaçam à segurança e defesa nacional. Portugal é um pais SEGURO?  Qual o papel das Forças Armadas e o seu reconhecimento em missões internacionais de garante dos direitos humanos e direitos internacionais.

A visita obedece a um planeamento estruturado em actividades programadas e formativas desenvolvidas e apresentadas pelos Jovens Cadetes.

Após receção na escola de Fuzileiros num dia cinzento e algo frio, o que reveste alguns cuidados “bem-estar” dos jovens foram devidamente enquadrados por militares da seção física militar da Escola de fuzileiros e pelo Tenente Reservista Ricardo Rosinha licenciado em Educação Física e comandante da Unidade de Cadetes Fuzileiros.

Os jovens em grupo depois de se fardarem adequadamente fazem um pequeno aquecimento e recebem uma formação ligeira sobre a pista de lodo. De seguida atravessam a pista numa área de segurança e percebem no contexto físico de esforço no terreno o papel do espírito de entre ajuda e respeito por ordens diretas para sua segurança e controlo.

Depois da expectativa de contacto com a pista de lodo, a manha acalmou com um encontro na sala de formação, onde os jovens efetuam a sua apresentação ao grupo residente e respetivo corpo de formadores, Azambuja e Corpo de cadetes do Mar, na pessoa do Sr. Cmdt Bellém Ribeiro.

De seguida visualizam uma pequena apresentação das atividades da Unidade Cadetes Fuzileiros de 2016/2017 onde foi explicado a importância da bandeira Nacional e como dobrar simbolicamente a bandeira nacional.

Seguiu-se o Almoço em salutar convívio e rancho melhorado bem ao espírito da escola de fuzileiros e gosta e sabe receber bem.

Depois de alimentar o físico há que alimentar o espírito e para isso contaram com uma visita guiada ao Museu da Escola de Fuzileiros dinamizada pela Cabo Fuzileiro Pinto que de forma informal e divertida falou da história de Portugal e da história dos Fuzileiros desde da sua fundação, passando pelo Ultramar até atualidade das principais missões e teatros em que as unidades Fuzileiros tiveram em missão. Ex: Combate à pirataria –Somália e segurança da Costa marítima nacional. Um percurso que valoriza a história e localização da Escola de Fuzileiros, a importância da farda, alimentação, o armamento os símbolos de mérito e da formação militar dos fuzileiros de Portugal.

Depois da fabulosa viagem no Museu da Escola Fuzileiro os jovens voltam à sala de formação n.º 15 e trocam experiencias sobre as atividades desenvolvidas nas suas Unidade.

No Corpo de Bombeiros e suas principais funções e missões de Socorro e proteção de pessoas e bens foi apresentado pelo Cadete Tomás e pela Bombeira 2 Iva Silva, depois seguiu–se três testemunhos de cadetes sobre a vida e experiencia de ser Cadete no Corpo de Bombeiros de Azambuja.

O pilar formativo é jovens aprendem com os jovens e aprendizagem tem que ser partilhada e experienciada para isso, tiveram oportunidade de praticar dois a dois como abordar a vitima e executar as manobras de Heimlich.

Por fim a tarde de formação e valorização humana e cívica, termina com uma apresentação de dois cadetes fuzileiros graduados, seguido de debate polémico de ideias sobre Direito Internacional onde se apresenta o papel da ONU e da NATO esta formação faz parte do ciclo formativo dos cadetes Fuzileiros durante este ano letivo.

Foi claramente um dia intenso, mas que mostra que crescer numa sociedade segura e que protege vidas é importante para a educação dos jovens, o que faz deles mais responsáveis pela “causa” comum.  Desejamos no fundo que aprendam, mas que se divirtam e se interessem pelos valores e pela defesa Nacional e pelo direito à vida.

No fim do dia o Cmdt Bellem Ribeiro lançou o desafio para participarem no Dia Nacional dos Cadetes do MAR e do Exército, dia 5 de maio 2018, na Academia Militar na Amadora.

Próximo ano desejamos reativar esta parceria com a vinda dos Cadetes Fuzileiros à Azambuja para visita e Formação neste corpo de bombeiros.

Commentários

Commentários