GNR: Estagiários que Substituem GIPS, Nas Patrulhas Apenas de Bastão

Publicidade

A GNR está a usar guardas estagiários para substituir os militares que saíram, no início da semana, para o curso de formação do Grupo de Intervenção, Proteção e Socorro (GIPS) – esta formação irá permitir um reforço de militares no dispositivo de combate aos fogos.

No entanto, a Associação dos Profissionais da GNR (APG) garante que os estagiários que estão a ser chamados para as patrulhas não podem usar arma de serviço.

Contactado pelo CM, fonte do comando-geral diz apenas que “os 342 guardas provisórios, que desde segunda-feira estão a estagiar nos postos territoriais, vão estar integrados na normal atividade operacional, enquadrados por militares mais graduados”.

“A lei é expressa quanto a isso: os guardas provisórios não podem usar armas de fogo. Estão apenas habilitados a usar um bastão de borracha”, disse ao CM César Nogueira, da APG.

Estão em formação 408 militares que, em maio, vão integrar o Sistema de Prevenção e de Combate aos Incêndios Rurais, passando este a contar com 1882 militares do GIPS e 1052 militares e civis no Serviço da Proteção da Natureza.

Ler mais aqui.

Commentários

Commentários