Congresso Nacional de Bombeiros Profissionais Dominado por Reivindicações

Publicidade

Os bombeiros profissionais continuam reunidos no XVI Congresso Nacional de Bombeiros Profissionais, no Pavilhão da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Dafundo.

No seu discurso de abertura de ontem o presidente da ANBP, Fernando Curto, apelou à necessidade de mudança de paradigma nos bombeiros, de forma a dar mais força às reivindicações, frisando o envolvimento das novas gerações no futuro da Associação e da defesa da classe profissional.

Também o vice-presidente da ANBP, Sérgio Carvalho, apelou à união dos associados na organização de iniciativas e relembrou o trabalho que tem vindo a ser feito para melhorar as condições de trabalho dos bombeiros, nomeadamente com a celebração de Acordos Coletivos de Trabalho.

Foi debatida diferença entre bombeiros sapadores, municipais, Força Especial de Bombeiros, e profissionais das Associações Humanitárias e a necessidade de aproximação de todos os profissionais do sector, pela reivindicação de direitos comuns.

Foram também abordadas as diferenças que existem entre os bombeiros profissionais do continente, da Região Autónoma da Madeira, Região Autónoma dos Açores, quer a nível da orgânica, quer ao nível da legislação.

Os congressistas manifestaram a sua revolta pela fraca participação da ANBP no processo legislativo em curso, apesar de acompanhar de perto todos os relatórios sobre os incêndios florestais. A este respeito, foi reiterado por todos os congressistas, de forma unânime, que a ANBP é a única representante dos Bombeiros Profissionais Portugueses e como tal o governo deve ter em conta as suas propostas.

A ANBP subscreve a necessidade da existência de uma Unidade de Missão e considera que pode contribuir para levar em frente esta medida, mas defende uma maior participação dos bombeiros profissionais (municipais, sapadores, profissionais das associações humanitárias, Força Especial de Bombeiros), no Dispositivo de Combate a Incêndios Rurais. A ANBP defende que trabalho dos bombeiros deve ser desempenhado por bombeiros e não por outra força de segurança.

No primeiro dia de congresso foi dada posse aos órgãos eleitos a 14 e15 de março de 2018.

Na sessão de encerramento está marcada para as 17h00 e será presidida pelo Secretário de Estado da Protecção Civil, Artur Neves.

Commentários

Commentários