LBP Denuncia: Ministério da Saúde Estrangula Bombeiros

Publicidade

As associações e corpos de bombeiros estão à beira da ruptura financeira devido aos atrasos dos pagamentos do Ministério da Saúde (MS), a rondar os 30 milhões de euros.

Esta manhã o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), comandante Jaime Marta Soares, teve ocasião de expor a grave situação ao Primeiro-ministro e de lhe solicitar uma audiência.

A LBP denuncia a situação vivida pelas associações de bombeiros, lamentando que, no fundo, estas mais uma vez estejam a subsidiar o Ministério da Saúde. Esta situação têm-se repetido nos últimos anos e a LBP não tem deixado de vir a terreiro denunciar esse estado de coisas.

Este sufoco financeiro, provocado pelo incumprimento do MS dos pagamentos dos muitos serviços prestados no transporte de doentes, está a fragilizar a actividade dos bombeiros, em muitos casos sujeitos a recorrer a financiamento bancário ou a protelar pagamentos aos seus fornecedores desequilibrando ainda mais a gestão das associações, já de si habitualmente precária.

A LBP sublinha que os bombeiros nunca deixarão de procurar responder a todas as solicitações de socorro mas, é fácil concluir que esta situação grave não deixa de poder fragilizar a sua actividade operacional.

A LBP recorda ainda que os bombeiros poderão ver-se obrigados a recorrer a medidas que não desejam mas que terão como intenção, a exigência dos pagamentos que lhe são devidos para a sustentabilidade das suas associações.

A LBP lamenta ainda que transferência fixa da Autoridade Nacional de Proteção Civil para as associações, habitualmente feita a 22 de cada mês, neste momento já tenha um atraso de 14 dias, desrespeitando os compromissos e com essa prática esteja também a reforçar a situação de ruptura financeira das mesmas. Mesmo perante esta situação de sufoco financeiro, afirmamos mais uma vez a Portugal e aos Portugueses que tudo faremos para garantir a defesa das suas vidas e dos seu haveres.

Commentários

Commentários