Obrigado a Todos os Que Foram a Lisboa e Aos Que Ficaram nos Quartéis!

Publicidade

Hoje, fizemos história.

Hoje, em Lisboa, em frente ao Ministério da Administração Interna fizemos história.

Hoje, ao cabo de mais de 600 anos, mostramos que ainda temos muita história para escrever.

Hoje, na capital, estiveram aproximadamente 4000 bombeiros e 800 viaturas.

Hoje, com orgulho, podemos dizer que mostramos ao pais a força das nossas fileiras.

Não embarco no chavão feito do “maior exército” de Portugal. Nós, bombeiros, não nos queremos comparar, igualar ou colocar no mesmo patamar do verdadeiro exército. Nós, bombeiros, desempenhamos missões diferentes do exército, não concorremos para o mesmo fim e nem as nossas missões são as mesmas.

Nós, bombeiros, apenas queremos respeito de quem nos governa, de quem legisla e de quem, de alguma maneira, tem poder de influência no dia-a-dia dos homens de vermelho.

Nós, bombeiros, somos únicos, estamos dotados de equipamentos e recursos humanos ímpares em Portugal, e como tal não queremos comparações, queremos igualdades no trato, no respeito e no valor que nos atribuem.

Hoje, pela primeira vez em Portugal, mostramos em plena capital da nação a nossa força.

Hoje, mostramos a quem ainda pudesse ter um réstia de dúvida, que somos capazes de parar o socorro em Portugal se necessário.

Hoje, não podia deixar de agradecer de forma única aos nossos bombeiros, aos nossos comandantes, às nossas entidades detentoras dos CB e respectivas direcções e por fim, à nossa Liga.

Hoje, finalmente, ao fim de anos e anos de inércia e pouca assertividade nas nossas tomadas de decisão, fomos capazes de fazer diferente.

Hoje, perdemos o “medo”!

Hoje, a LBP, reconquistou a confiança da grande massa dos bombeiros, ou seja, os próprios bombeiros.

Amanhã, o caminho, só pode ser um, que terá que ser o mesmo de hoje: a luta!

Amanhã, se não nos ouvirem após esta manifestação de força, é tempo de continuarmos. É tempo de união, de coesão e de reivindicação.

Amanhã, tudo aquilo que pedimos, que é o mesmo de hoje, é legitimo e não é, nem mais nem menos do que o que os outros agentes e de proteção civil possuem: independência, autonomia e respeito.

Aos que hoje, foram ao Terreiro do Paço e aos que ficaram na defesa das populações, o meu mais puro e sincero agradecimento. 

Que a luta de hoje, seja o sucesso de amanhã.

Obrigado a todos!

Luís Gaspar

Commentários

Commentários