INEM Só Conseguiu Ambulância Para Prestar Socorro a Idosa à Sexta Tentativa

Publicidade

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) relatou esta quinta-feira à Rede Regional a fita do tempo da ocorrência do dia 28 de janeiro que terminou com a morte de uma idosa do Escaroupim, no concelho de Salvaterra de Magos. O maior destaque vai para o facto de cinco entidades diferentes terem recusado o socorro por terem as ambulâncias ocupadas em serviços de emergência médica.

Segundo o INEM, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM recebeu às 10h46 uma chamada transferida através do 112, solicitando ajuda para uma idosa, de 83 anos, “que estaria prostrada e sonolenta”.

Segundo afita do tempo, às 10h48, o CODU contactou os BV Salvaterra de Magos que informaram não ter ambulância disponível por ocupação noutras missões de emergência médica; às 10h49 contactou os BV Benavente; às 10h50 os BM Cartaxo; às 10h51 a CVP Aveiras de Cima; e às 10h53 os BV Azambuja, tendo todas estas entidades dado ao CODU a mesma resposta: as ambulâncias estavam ocupadas em serviços de emergência médica.

De acordo com a mesma resposta enviada às nossas perguntas, o INEM garante que às 10h54 o CODU contactou a Cruz Vermelha do Carregado, que aceitou o serviço e acionou para o local uma ambulância de socorro. A saída ocorreu 8 minutos após a chamada do INEM.

Já no local, e depois de avaliar e prestar os primeiros cuidados de saúde à doente, a tripulação ligou para o CODU às 11h38 dando conta dos sinais e sintomas apresentados pela vítima, referindo que a doente se encontrava agora em paragem cardiorrespiratória (PCR), tendo sido iniciadas manobras de reanimação.

O CODU acionou então a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Santarém, não tendo sido possível às equipas médicas reverter a PCR.

Leia mais em Rede Regional

Commentários

Commentários