Opinião: Os Bombeiros Não Pagam as Suas Contas no Final do Mês com Voluntariado

Foto meramente ilustrativa


SNBP: 27 anos de história ao lado dos Bombeiros

Publicidade

Mais um ano a juntar à já longa história do SNBP, criado a 28 de Março de 1992 e que se tem mantido e crescido graças ao esforço dos seus dirigentes e associados.

A vida deste sindicato não tem sido fácil. As suas lutas são quase sempre desiguais. Estamos sempre do lado dos mais fracos, dos perseguidos. Daqueles que menos podem, mas que têm direito a ser defendidos, a lutar por uma carreira digna e pelo seu ganha-pão. Os Bombeiros são trabalhadores. Têm direito, como qualquer trabalhador, a um vencimento e a respeito no seu local de trabalho.

Sendo o sector dos Bombeiros e da Protecção Civil, como muitos já apelidaram, “uma grande salada russa”, cria a este Sindicato mais problemas para resolver qualquer conflito laboral. Por mais simples que ele seja…

Se dependesse só de nós, a maior parte das questões laborais e mesmo estatutárias que ao longo dos anos têm surgido, já estariam resolvidas. O problema é que tudo isto não depende só de nós. Logo, outros valores mais altos, por vezes inexplicáveis, aparecem para defender as “suas quintas” ou mesmo a sua “grande herdade”.

Todos temos de estar cada vez mais unidos em torno do nosso sindicato, porque tempos difíceis se aproximam. De uma vez por todas, quem tanto fala publicamente no nosso nome e nos idolatra tem de assumir que todos nós temos direito a uma carreira.

Os Bombeiros não pagam as suas contas no final do mês com voluntariado.

Não pagam a renda da casa, a conta do talho, a escola dos filhos ou a letra do carro com voluntariado. Pagam sim com o seu trabalho e, como muito se ouve, muitas vezes com sangue suor e lágrimas. Não só os bombeiros, como qualquer outro trabalhador português ou no Mundo.

Muitos, ao contrário do que defende o nosso sindicato, preferem Bombeiros com direitos idênticos aos que vigoram em regimes totalitários. Então que o assumam publicamente.

Se temos assim tantos bombeiros voluntários, que se disponibilizam voluntariamente no seu tempo e não de forma obrigatória (como actualmente acontece), libertem os Bombeiros Profissionais e deixem ao seu próprio critério a opção pela realização de trabalho voluntário.

Há assim tantos voluntários? Quando se fala em melhores condições laborais, melhores ordenados e carreira, dizem não ser necessário por termos tantos voluntários? O que tem uma situação a ver com outra?

No tempo da escravatura, os negros estavam presos a correntes para trabalharem de sol a sol. Em vez de correntes, os Bombeiros Profissionais das Associações Humanitárias têm essa grande ferramenta que é o RNBP – Recenseamento Nacional de Bombeiros Portugueses, utilizada em muitos casos para esconder os profissionais e escravizá-los no voluntariado. Não podemos compactuar com essa situação.

Como aconteceu ao longo destes 27 anos, os Bombeiros sabem que podem contar com o seu Sindicato, o SNBP.

Estamos a crescer e nada nos vai parar!

Os Bombeiros têm voz com o SNBP.

Sérgio Rui Carvalho, presidente SNBP, In Jornal Alto Risco Março

Commentários

Commentários