TAT vs TS – A Teimosia da ENB / INEM / Desconhecidos

Publicidade

Portugal ultrapassa uma das alturas mais exigentes do ponto de vista de disponibilidade para os Bombeiros Voluntários e uma crise de voluntariado assustadora, não só de disponibilidade de novos voluntários como também de novos valores e educações.

Há vários anos que, por motivos que me são desconhecidos, inventaram o curso Técnicas de Socorrismo (TS), para supostamente responder à necessidade de cumprir com o requisito de escolaridade obrigatória do curso de TAT.

Ora agora, os que nasceram após 1997 passaram a padecer de uma doença degenerativa que os impede de engolir a conjugação de palavras “Tripulante de Ambulância de Transporte”, parece ser uma doença grave dado que encontrada a cura nunca mais ninguém mexeu no assunto.

Por esse motivo houve uns iluminados pelo milagre de nossa senhora dos entorses que decidiu dar outro nome ao curso, para que os que não chegam ao 12º ano atualmente possam na mesma fazer o mesmo curso, com os mesmos formadores, os mesmos conteúdos teóricos e práticos e com a ENB como formadora, só que com o INEM a sofrer de miopia e não reconhecer o curso, alegando falta de escolaridade (ou de vontade).

Ora não fosse isto já patético o suficiente, reconhece que ambos os cursos dá direito a serem operacionais de DAE, mas não TAT (CREDO SATANÁS).

Lógico que com a introdução do novo despacho de formação e a redução para 25 horas está a ENB a reduzir custos em horas pagas a formadores, para que um curso que não serve para nada, não tenha ainda custos iguais ao que serve para alguma coisa, há quem já lhe chame de Licenciatura em VDTD, mas acho que todos conseguem perceber que nenhum voluntário vêm para os Bombeiros para fazer esse tipo de serviço.

Há ainda mais três coisas que eu não consigo entender:

  • Porque raio ainda ninguém se sentou à mesa para resolver isto
  • Como é que ainda ninguém percebeu que a maioria dos novos voluntários não cumprem o requisito do 12º ano por razões de idade e dificuldades escolares e perdemos, na flor da idade, a motivação dos mesmos ao retirar-lhes a possibilidade de efetuarem serviço urgente.
  • Qual é a diferença entre um nascido em 1986 ou em 1998 no que toca a capacidades extra para efetuarem um curso tão básico como é o de Tripulante de Ambulância de Transporte?

Senhores do INEM, da ENB, da LBP e do Ministério da Saúde e da Administração Interna sentem-se por favor, almocem, bebam uma garrafa de vinho (eu até ofereço!!) cada um, e saiam de lá com a ideia que manter o curso de Técnicas de Socorrismo ou ainda reduzir-lhe as horas é só um atestado de estupidez a todos os que dão a sua disponibilidade para fazer a diferença e serem bombeiros voluntários.

Agora se o objetivo é acabar com os Bombeiros: Prossigam! Estão num bom caminho.

Commentários

Commentários