A cobrança de pênalti de Achraf El Hakimi atingiu a surpresa surpreendente de Panenka na Copa do Mundo, quando o Marrocos derrotou a Espanha nos pênaltis e chegou às quartas de final.



CNN

Marrocos continuou sua incrível corrida em Catar 2022Ao derrotar a Espanha nos pênaltis para chegar à Copa do Mundo Quartas de final Pela primeira vez em sua história.

A Espanha perdeu os três pênaltis Goleiro marroquino Bono Tornou-se herói nas cobranças de pênaltis, salvando chutes de Sergio Busquets e Carlos Soler, enquanto Pablo Sarabia acertou a trave.

Achraf Hakimi, nascido na Espanha, enterrou o pênalti vitorioso com mais precisão do que Paninkas, acertando suavemente a bola no meio do gol para enviar os milhares de torcedores marroquinos dentro do Education Stadium para a terra dos sonhos.

A derrota para a Espanha dá continuidade ao miserável recorde da Copa do Mundo desde que conquistou o troféu em 2010, com La Roja Ele conseguiu apenas três vitórias em torneios – contra Austrália, Irã e Costa Rica – nas três edições desde aquele triunfo.

Antes do jogo de terça-feira, o técnico da Espanha, Luis Enrique, disse que deu a seus jogadores “lição de casa” há um ano para praticarem 1.000 pênaltis, mas quando o calor do momento chegou, Busquets, Soler e Sarabia cederam sob a pressão.

Não foi o caso, enfurecido com as cenas selvagens de Hakimi em campo quando o lateral do Paris Saint-Germain foi atacado por seu companheiro de equipe e comissão técnica, que comemorou que o Marrocos se tornou o primeiro país árabe a chegar às quartas de final da Copa Copa do Mundo.

O Marrocos tem sido uma revelação neste torneio, defendendo bravamente e atacando com força, e os torcedores da seleção norte-africana se sentirão confiantes em ultrapassar a Suíça ou Portugal na próxima rodada para fazer mais história.

A Espanha produziu indiscutivelmente o resultado mais marcante na primeira rodada de partidas, superando a Costa Rica por 7 a 0 em um desempenho absolutamente dominante para ofuscar todos os outros candidatos à Copa do Mundo.

Nas duas partidas seguintes, porém, a Espanha empatou com a Alemanha e depois chocou o Japão, avançando para as oitavas de final como vice-campeã, atrás do Samurai Blue.

O Marrocos, então, pode ser perdoado por se sentir um pouco chateado com o empate da Espanha na fase eliminatória, depois de se classificar confortavelmente na liderança do grupo.

Mas os Atlas Lions estão, sem dúvida, entre os jogadores mais talentosos até hoje no Catar e não terão medo de entrar neste confronto contra La Roja.

Antes desta partida, o técnico da seleção marroquina, Walid Rekragui, havia pedido aos seus jogadores para “mirar no céu” e eles começaram a partida com uma força que mostrava que não iriam se afogar na partida ou seu adversário que conquistou o Mundial Xícara.

A Espanha manteve seu terrível recorde na Copa do Mundo desde que ergueu o troféu em 2010.

Os camisas vermelhas marroquinas começaram a desarmar em 30 segundos, não dando aos jogadores espanhóis um momento de calma com a bola.

Os torcedores marroquinos – que estavam entre os melhores do Catar e faziam quase todas as partidas parecerem um jogo em casa – responderam ruidosamente, gritando a cada desarme marroquino e zombando cada vez que a Espanha tinha a posse de bola.

O Marrocos também parecia mais perigoso nos primeiros 20 minutos, causando problemas para a defesa da Espanha no segundo tempo, já que um desses contra-ataques forçou Busquets a derrubar Sofiane Boufal.

Hakimi, que nasceu na Espanha de pais marroquinos, cobrou a cobrança de falta na trave de Unai Simon.

O domínio inicial do Marrocos pode ter deixado seus jogadores com excesso de confiança, já que um cruzamento por trás proporcionou uma oportunidade fantástica na frente do gol para Jaffe, mas Bono se recuperou de forma brilhante para desviar o chute do atacante para a trave sem saber que a bandeira do árbitro havia saído. para esgueirar-se.

Foi um primeiro aviso para o Marrocos de que qualquer falha de foco poderia ser punida pela talentosa linha de frente da Espanha a qualquer momento.

Achraf Hakimi foi atacado por seus companheiros após vencer uma cobrança de pênalti.

A apenas três minutos do fim do primeiro tempo, o Marrocos teve a melhor chance da partida até o momento.

O lateral Boufal, que fez um grande jogo, cruzou para o segundo poste com um cabeceamento por cima da trave de Naif Aguierd, que deveria ter pelo menos disparado à baliza.

Embora o Marrocos tenha brilhado no primeiro tempo, terminando os primeiros 45 minutos em grande estilo, a Espanha foi igualmente decepcionante. Como costuma acontecer nas finais da Copa do Mundo, o time de Enrique teve mais posse de bola, mas a maior parte foi pesada ao passar a 10 metros da grande área marroquina.

Provavelmente houve algumas palavras de escolha no primeiro tempo de Enrique para seus jogadores, que saíram no segundo tempo com muito mais força.

O Marrocos mal tocou na bola no meio-campo de ataque, já que as camisas azuis claras da Espanha passavam pelo adversário sempre que perdia a posse de bola.

Embora a defesa marroquina certamente parecesse mais afinada – Agwerd chegou a fazer um brilhante desarme de última hora sobre Álvaro Morata dentro da grande área – para toda a posse de bola da Espanha, que chegou a 85% no segundo tempo, o marroquino Bono. O alvo não foi seriamente perturbado.

Demorou até o minuto 81 para a Espanha criar sua primeira chance, quando o substituto Neco Williams limpou a bola de Morata, mas o chute brilhante do atacante acertou o dedo do pé de Bono, sem nenhum outro espanhol perto do gol marroquino.

Cada vez mais parecia que esta partida estava indo para a prorrogação, mas a Espanha tinha uma última chance de vencer. Dani Olmo errou um cruzamento dentro da área que errou o dedo de Williams por milímetros e Bono conseguiu chutar nas costas para cobrança de escanteio.

Em um primeiro tempo previsível da prorrogação, Marrocos teve uma grande chance de assumir a liderança, mas o substituto Walid Chedira disparou direto para Simon após Hakim Ziyech ter marcado individualmente.

Jogadores marroquinos comemoram vitória histórica.

É estranho que a Espanha finalmente tenha acordado nos últimos momentos da prorrogação, pressionando o gol marroquino até que um belo passe de Rodri encontrou Sarabia desmarcado na área, mas o atacante do Paris Saint-Germain acertou a trave mais distante.

Sarabia sentiu remorso por essa falha enquanto sua noite ia de mal a pior, ao marcar um pênalti na disputa de pênaltis contra o primeiro goleador da Espanha.

Foi um sinal do que estava por vir para a Espanha, já que Busquets e Soler também não conseguiram marcar.

Apesar de Badr Bennoun ter perdido o pênalti para o Marrocos, Abdelhamid Sabri e Ziyech e depois, o mais legal de todos, Hakimi enterrou seus pênaltis para garantir seu lugar no folclore do futebol marroquino.

READ  Ben Roethlisberger soa ao alterar o nome de um campo Heinz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *