As principais ONGs pararam de operar no Afeganistão depois que o Talibã proibiu as mulheres trabalhadoras

Três grandes organizações não-governamentais internacionais anunciaram no domingo que suspenderam seu trabalho no Afeganistão depois que o Talibã anunciou que estava impedindo as mulheres de trabalhar neste tipo de organização.

A Save the Children, o Conselho Norueguês para Refugiados e a CARE International disseram em uma declaração conjunta Lançamento Eles estão pedindo que homens e mulheres possam continuar participando da “assistência para salvar vidas” no Afeganistão. Eles disseram que suspenderiam sua programação lá enquanto ganhavam “clareza” na publicidade.

“Não podemos chegar efetivamente às crianças, mulheres e homens que precisam desesperadamente de assistência no Afeganistão sem nossa equipe feminina”, disseram. “Sem as mulheres liderando nossa resposta, juntas não teríamos alcançado os milhões de afegãos necessitados desde agosto de 2021.”

As ONGs disseram que a decisão do Talibã também afetaria milhares de empregos, já que a província passa por uma crise econômica.

A decisão do Talibã veio ao anunciar que as mulheres não teriam permissão para frequentar universidades no país ou aulas religiosas em mesquitas na capital, Cabul.

Secretário de Estado Anthony Blinken avisou que a proibição do Talibã de mulheres que trabalham em ONGs pode ser “devastadora” e atrapalhar a “assistência vital e que salva vidas” para milhões de pessoas.

O Talibã disse que impôs a proibição em resposta a “sérias reclamações” de mulheres que trabalhavam para ONGs usando lenços de cabeça de forma inadequada.

O Talibã implementou muitas regras que restringem os direitos das mulheres no país, seguindo sua estrita interpretação da lei Sharia, desde que recuperou o controle da província em agosto passado. Mulheres muito restrito de trabalhar fora de casa, elas devem cobrir o rosto em público e ser acompanhadas por um acompanhante do sexo masculino quando viajam, de acordo com as Nações Unidas.

READ  AP PHOTOS: 10 semanas na Ucrânia, o que torna difícil esquecer as fotos

O país também sofreu graves dificuldades econômicas, pois a ajuda internacional parou quase imediatamente após a reconquista do país pelo Talibã.

Mulheres afegãs se reuniram para protestar contra a recente proibição de admissão em universidades em cidades de todo o país. As forças do Talibã responderam duramente. usando uma pistola de água Em uma das cidades para dispersar um grupo de manifestantes.

Vários países de maioria muçulmana do Oriente Médio, incluindo Arábia Saudita, Turquia e Catar, também o têm. condenado Proibição de matrícula de mulheres no ensino superior.

O ministro do ensino superior talibã disse acreditar que a proibição é necessária para evitar a mistura de sexos nas universidades e porque acredita que algumas das disciplinas ensinadas violam os princípios islâmicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.