Boeing obtém plano da FAA para avançar com plano de retomar as entregas do 787 Dreamliner

Reguladores federais na sexta-feira abriram caminho para a Boeing retomar as entregas de seus 787 Dreamliners, que foram interrompidos há mais de um ano devido a preocupações com a qualidade.

A Boeing apresentou um plano à Administração Federal de Aviação nesta primavera para examinar e corrigir esses problemas, que a agência aprovou na sexta-feira em um marco importante na rota de entrega do avião, de acordo com uma pessoa familiarizada com a decisão, e não foi. Autorizado pela agência para compartilhar a notícia. A FAA ainda inspecionará os aviões antes de serem entregues aos clientes da Boeing.

O Dreamliner é uma aeronave de corredor duplo comumente usada para longos voos internacionais e é uma parte importante da frota da Boeing. Ele atrai as companhias aéreas em parte porque é mais eficiente em termos de combustível do que as aeronaves de fuselagem larga mais antigas.

O atraso na entrega teve um impacto negativo na Boeing e seus clientes. Em janeiro, a Boeing estimou o custo de fazer reparos e compensar clientes por atrasos em cerca de US$ 3,5 bilhões. No início deste ano, a American Airlines disse que o congelamento de entregas a forçou a cortar várias rotas internacionais que planejava voar neste verão.

As preocupações com a qualidade incluíam encontrar e preencher lacunas finas na fuselagem, substituir certas peças de titânio por materiais defeituosos e outros reparos. A Boeing disse que nada tem um impacto imediato na segurança dos Dreamliners que voam hoje.

A Boeing já começou a inspecionar e reparar seu estoque de cerca de 120 Dreamliners, mas não ficou claro quando a empresa poderá começar a enviar o avião para os clientes novamente. Um executivo americano disse no início deste mês que Espera-se que comece a receber Parte de seu arranjo Dreamliners no início de agosto.

READ  Resultados da Beyond Meat (BYND) no segundo trimestre de 2022

E a Boeing já havia indicado na semana passada que estava prestes a retomar as entregas. “Estamos adaptando as aeronaves aos nossos clientes e concluímos as verificações de voo nas aeronaves iniciais”, disse Brian West, diretor financeiro da Boeing, em uma ligação com analistas e jornalistas investidores.

Uma porta-voz da Administração Federal de Aviação se recusou a comentar a decisão. Em um breve comunicado, a Boeing disse que “continuará trabalhando de forma transparente” com a agência e seus clientes para retomar as entregas.

A Boeing disse na semana passada que pretende retornar à produção de cinco Dreamliners por mês, abaixo dos 14 no mês que estava compilando antes da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.