Cimeira de Paz na Ucrânia: Líderes reúnem-se na Suíça, sem Rússia

OBBÜRGEN, Suíça (AP) – Dezenas de líderes mundiais reuniram-se num resort suíço no sábado para discutir como trazer a paz à Ucrânia devastada pela guerra, mesmo quando a ausência da Rússia diminuiu quaisquer esperanças de progresso real.

Três anos de guerra, os combatentes estará distante Como sempre fizeram, Kiev mantém as suas exigências de que a Rússia retire todo o território ucraniano que conquistou, e Moscovo está a intensificar a sua ofensiva agressiva.

Apesar da ausência da Rússia na cimeira no resort Bürgenstock Com vista para o Lago Lucerna, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyi previu desde o início que as conversações levariam à “história a ser feita”.

“Conseguimos trazer de volta ao mundo a ideia de que esforços conjuntos podem acabar com a guerra e estabelecer uma paz justa”, disse ele numa conferência de imprensa com a presidente suíça, Viola Amherd.

Dirigindo-se mais tarde à conferência, Zelensky disse que a cimeira lançaria as bases para uma resolução final do conflito.

“Na primeira cimeira de paz, devemos decidir como alcançar uma paz justa, para que na segunda já possamos tomar uma decisão real sobre a guerra”, disse ele.

O Patronos suíços Ele disse que mais de 50 governos e líderes governamentais participarão Encontro no Bürgenstock Resort Com vista para o Lago Lucerna. Também eram esperados cerca de 100 delegados, inclusive de organizações europeias e das Nações Unidas.

Foi motivo de intriga devido a uma reunião que os críticos disseram que não teria sentido sem a presença da Rússia, que invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022.

Embora o seu país não tenha comparecido, o presidente russo, Vladimir Putin, tomou a rara medida de definir os seus termos para o fim da guerra na sexta-feira. Mas as suas propostas não continham novas exigências e Kiev classificou-as de “manipuladoras” e “ridículas”.

READ  Joel Embiid, do Sixers, vence o prêmio de MVP da NBA em 2023

A conferência contou com a presença de presidentes ou primeiros-ministros de países tão distantes como a Grã-Bretanha, o Equador e o Quénia. Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, e vários ministros das Relações Exteriores, incluindo Turquia e Arábia Saudita. Entretanto, alguns dos principais países em desenvolvimento, como a Índia, a África do Sul e o Brasil, que apenas observavam o evento, enviaram funcionários de baixo nível.

China, Apoie a Rússia, juntando-se a muitos outros países participantes do evento. Pequim disse que qualquer processo de paz exigiria a participação da Rússia e da Ucrânia, e sugeriu Suas próprias ideias para a paz.

No mês passado, a China e o Brasil chegaram a acordo sobre seis “entendimentos comuns” sobre uma solução política para a crise da Ucrânia, instando outros países a ratificá-los e a desempenhar um papel na promoção de conversações de paz. Os seis pontos do acordo incluem “apoiar uma conferência de paz internacional oportuna, reconhecida pela Rússia e pela Ucrânia, com participação igual de todas as partes e discussão justa de todos os planos de paz”.

As tropas russas controlam grandes áreas do leste e do sul da Ucrânia obtiveram ganhos territoriais Nos últimos meses. As forças ucranianas retomaram recentemente grandes áreas de território perto da cidade de Kherson, no sul, e da cidade de Kharkiv, no norte, quando começaram as negociações sobre uma cimeira de paz organizada pela Suíça no verão passado.

Num cenário de campo de batalha e estratégia diplomática, os organizadores da cimeira apresentaram três agendas: segurança nuclear, incluindo a central eléctrica de Zaporizhia ocupada pela Rússia; assistência humanitária e troca de prisioneiros de guerra; E a segurança alimentar global é por vezes perturbada por perturbações nas exportações através do Mar Negro.

A lista de tarefas é curta, contendo alguns itens controversos, aquém dos planos e esperanças apresentados por Zelensky na fórmula de paz de 10 pontos do final de 2022. Esse plano previa a retirada das tropas russas da Ucrânia ocupada. território, um cessar-fogo e a restauração das fronteiras originais da Ucrânia com a Rússia, incluindo a retirada da Rússia da Crimeia ocupada.

READ  Aaron Carter perdeu uma sessão de reabilitação antes de ser encontrado morto

Putin, entretanto, quer que qualquer acordo de paz seja construído em torno de um projecto de acordo negociado nas fases iniciais da guerra que incluiria o estatuto neutro da Ucrânia e limites às suas forças armadas. A pressão da Ucrânia para aderir à NATO irritou Moscovo durante anos.

Na sexta-feira, Putin disse a diplomatas e legisladores russos que ordenaria “imediatamente” um cessar-fogo e abriria negociações se a Ucrânia abandonasse a sua tentativa de aderir à NATO e começasse a retirar tropas das quatro regiões ilegalmente anexadas por Moscovo em 2022.

Embora as exigências de Putin sejam um fracasso para a Ucrânia, analistas dizem que Kiev é incapaz de negociar a partir da sua actual posição de força.

“A situação no campo de batalha mudou dramaticamente”, disse Alexander Gabov, diretor do Carnegie Russia and Eurasia Center, acrescentando que embora a Rússia “não consiga atingir rapidamente os seus objetivos máximos por meios militares”, está a ganhar impulso no campo de batalha.

“Muitos países que comparecerem à cimeira questionarão se a fórmula de paz de Zelenskyy ainda tem pernas”, disse ele aos jornalistas na quarta-feira.

Grande parte do mundo está prestando atenção Guerra em Gaza E Eleições nacionais em 2024Os apoiantes da Ucrânia querem trazer de volta a atenção global para a violação do direito internacional pela Rússia e para a restauração do território da Ucrânia.

O International Crisis Group, uma empresa de consultoria focada em acabar com o conflito, escreveu esta semana que “Burgenstock não é uma grande surpresa”.

“No entanto, a cimeira suíça é uma oportunidade para a Ucrânia e os seus aliados sublinharem o que a Assembleia Geral da ONU reconheceu em 2022 e reiterou na resolução de fevereiro de 2023 para uma paz justa na Ucrânia: a agressão total da Rússia é uma violação flagrante da ordem internacional lei”, disse.

READ  Relatório climático da ONU diz que 2023 está “fora da lista”

Especialistas disseram que acompanharão de perto a redação de qualquer documento final ou planos futuros. Conscientes da reticência da Rússia em relação à convenção, as autoridades suíças disseram repetidamente que esperam que um dia a Rússia se junte ao processo, tal como as autoridades ucranianas.

Enquanto os líderes mundiais discutiam um caminho para a paz na Suíça, um campo de batalha na Ucrânia, os bombardeamentos mataram pelo menos três civis e feriram outros 15 na sexta-feira e durante a noite de sábado, disseram autoridades regionais.

Enquanto isso, Vyacheslav Kladkov, governador da região de Belgorod, no sul da Rússia, culpou a Ucrânia, em uma postagem nas redes sociais, pelo bombardeio que atingiu um prédio de apartamentos de cinco andares na cidade de Shebekino e matou cinco pessoas. Não houve comentários imediatos de Kiev.

___

Esta história foi editada para refletir que a citação de Zelensky que começa com “Na primeira cimeira de paz…” foi feita durante um discurso na conferência, não numa conferência de imprensa.

___

Ken Moritsugu em Pequim e Joanna Kozlowska em Londres contribuíram para este relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *