Especialista médico chinês diz que Covid sofreu mutação e deve ser renomeado

XANGAI (Reuters) – A China deve mudar seu nome oficial para COVID-19 para refletir a mutação do vírus, e pacientes com sintomas leves devem ser autorizados a ficar em quarentena em casa, disse uma importante autoridade em medicina tradicional chinesa nesta quarta-feira.

Gu Xiaohong disse ao jornal estatal Beijing Daily que o nome chinês para o coronavírus, que o define como uma doença causadora de pneumonia, deve ser alterado para simplesmente chamá-lo de vírus infeccioso.

A abordagem da China ao COVID – que enfatizou testes generalizados e quarentena de casos positivos em instalações especializadas – deve mudar de “detecção passiva” para “prevenção ativa”, com recuperação domiciliar para casos leves.

Gu disse que o braço de doenças infecciosas da Associação Chinesa de Medicina Chinesa, que ela dirige, chegou a um consenso para mudar a forma como descreve o vírus.

Seus comentários estão de acordo com o recente abrandamento dos especialistas em saúde chineses e do tom da mídia estatal em relação ao coronavírus, enquanto as autoridades diminuíram o que continua sendo uma das restrições mais duras do COVID no mundo.

Há uma expectativa generalizada de que as medidas possam anunciar uma mudança mais acentuada em direção à normalidade três anos após o início da pandemia.

As autoridades estão começando a minimizar os riscos apresentados pelo vírus. Na segunda-feira, a agência de notícias estatal chinesa Xinhua disse em um comentário que “o período mais difícil já passou”, citando a baixa patogenicidade do vírus e os esforços para vacinar 90% da população.

(Reportagem de Brenda Goh; Edição de Edmund Kelman)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.