Hathras Stampede: evento mortal que mata pelo menos 121 pessoas, a maioria mulheres e crianças

LUCKNOW, Índia (AP) – As autoridades afirmam que a superlotação severa, saídas inadequadas e outros fatores contribuíram para… Debandada mortal em um festival religioso No norte da Índia, matou pelo menos 121 pessoas.

Outras cinco pessoas morreram O oficial local Manish Chaudhary disse que 28 pessoas foram mortas na manhã de quarta-feira e outras 28 ainda recebiam tratamento no hospital.

O incidente ocorreu na tarde de terça-feira em um vilarejo no distrito de Hathras, em Uttar Pradesh, quando grandes multidões saíram correndo de uma tenda improvisada. Não ficou imediatamente claro o que causou o pânico.

As autoridades estão investigando o que aconteceu e começaram a procurar um professor hindu conhecido localmente como Bhol Baba, bem como outros organizadores.

Acidentes de debandada fatais Relativamente comum Nos festivais religiosos indianos, grandes multidões reúnem-se em pequenas áreas com infra-estruturas precárias e poucas medidas de segurança.

A sobrelotação, o mau planeamento e as más condições meteorológicas estão entre os factores observados que contribuíram para o desastre.

Cerca de um quarto de milhão de pessoas compareceram ao evento, que teve capacidade para acomodar 80 mil pessoas e foi realizado em uma tenda armada em um campo lamacento. Não ficou claro quantas pessoas conseguiram entrar na tenda.

O ministro-chefe de Uttar Pradesh, Yogi Adityanath, disse aos repórteres que uma multidão de devotos correu em direção ao pregador para tocá-lo quando ele saiu do palco, causando o caos enquanto os voluntários lutavam para intervir.

Os primeiros relatos da polícia indicam que neste momento milhares de pessoas acorreram à saída, muitas delas escorregando no chão lamacento, fazendo-as cair e serem esmagadas pela multidão. A maioria dos mortos eram mulheres.

READ  Ministro das Finanças canadense que não possui carro é multado por excesso de velocidade

A organização do pregador Sri Jajar Guru Baba passou mais de duas semanas se preparando para o evento.

Fiéis de várias partes do estado, que tem uma população de mais de 200 milhões de habitantes e é o mais populoso da Índia, deslocaram-se até à aldeia, em filas de veículos estacionados que se estendem por três quilómetros.

Especialistas disseram que o evento violou os padrões de segurança. “O evento foi realizado em uma tenda temporária, sem garantir múltiplas rotas de saída. Geralmente há de oito a dez saídas bem marcadas que abrem para áreas abertas”, disse Sanjay Srivastava, especialista em gestão de desastres.

Em vez disso, as autoridades disseram que parecia haver apenas uma pequena saída para a tenda.

Na terça-feira, centenas de familiares das vítimas reuniram-se em hospitais locais, chorando de dor ao verem os corpos das vítimas colocados em macas e cobertos com lençóis brancos do lado de fora. Ônibus e caminhões também transportaram dezenas de vítimas para o necrotério.

Sonu Kumar foi um dos muitos residentes locais que ajudaram a levantar e transportar os corpos após o incidente. O pregador criticou, dizendo: “Ele sentou-se no carro e saiu. Seus seguidores aqui caíram uns em cima dos outros e alguns deles caíram na água”.

Kumar acrescentou: “Os gritos foram de partir o coração. Nunca testemunhamos nada assim antes em nossa aldeia”.

Binod Sukhna, que perdeu a mãe, a filha e a esposa, chorou ao sair do necrotério na quarta-feira.

“Meu filho me ligou e disse: ‘Pai, minha mãe não está mais aqui, venha aqui imediatamente, minha esposa não está mais aqui’”, disse ele enquanto chorava.

Em 2013, peregrinos que visitavam um templo para um festival hindu popular no estado de Madhya Pradesh, no centro da Índia, atropelaram-se uns aos outros, temendo que uma ponte desabasse. Pelo menos 115 pessoas foram esmagadas ou morreram no rio.

READ  A guarda costeira da Grécia defende suas ações enquanto mais de 500 migrantes com destino à Europa temem a morte em destroços de avião

Em 2011, mais de 100 fiéis hindus morreram numa debandada durante um festival religioso no estado de Kerala, no sul do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *