Putin decide ocupar Ucrânia, mas diz porta aberta para diplomacia

“Neste momento, espero que ele tenha tomado essa decisão”, disse Biden em comunicado à Casa Branca.

O presidente disse que os Estados Unidos esperam que as forças russas ataquem a Ucrânia “na próxima semana” ou em breve, e que um ataque será lançado na capital ucraniana, Kiev.

Biden planeja passar o fim de semana reunido com sua equipe de segurança nacional e manter contato com líderes mundiais para monitorar a atual crise na Ucrânia da Casa Branca, dizem várias autoridades. Biden considerou um hábito viajar para Delaware, mas decidiu ficar em Washington.

Nos últimos dias, o governo Biden divulgou vários detalhes de inteligência sobre os movimentos russos – uma mudança significativa na maneira como as autoridades de segurança nacional dos EUA geralmente agem. O governo decidiu “discutir em voz alta e repetidamente” os movimentos de Biden na câmara de Roosevelt na sexta-feira para “justificar a invasão da Ucrânia e impedir qualquer movimento que a Rússia possa dar a eles”.

“Não se engane. Se a Rússia continuar com seus planos, será responsável por uma guerra eleitoral catastrófica e desnecessária”, acrescentou.

A declaração do presidente na sexta-feira de que Putin estava “determinado” a invadir a Ucrânia foi uma mudança significativa em sua posição. Biden disse anteriormente que não acreditava que o líder russo tivesse tomado sua decisão, mas reconheceu que sua compreensão do pensamento de Putin era limitada. “A diplomacia é sempre possível”, disse ele na sexta-feira, acrescentando que espera que a diplomacia possa melhorar a situação.

Mas quando perguntado por que ele acredita que Putin está considerando a diplomacia, Biden disse: “Temos capacidade significativa de inteligência”.

A desinformação da Rússia cria uma falsa sensação de urgência para Putin, que acusou a Rússia de violar o cessar-fogo em uma “crise em rápida escalada”.

READ  O inspetor geral do DHS disse ao comitê em 6 de janeiro que Mayorkas estava falando sobre a cooperação do Serviço Secreto.

“Nos últimos dias, vimos um grande progresso em militantes pró-Rússia violando o cessar-fogo para provocar a Ucrânia no Donbass”, disse Biden. Mídia estatal russa, incluindo a alegação “falsa” de genocídio na região de Donbass.

Mas as alegações dos russos são simplesmente sem sentido, argumentou Biden, “acreditar que os ucranianos vão escolher este momento viola a lógica básica – com 150.000 soldados estacionados em suas fronteiras – com duração de um ano. Conflito”.

Apesar da avaliação dos EUA de uma invasão imediata da Ucrânia, Biden disse que cabe ao presidente ucraniano, Volodymyr Zhelensky, decidir se participará de uma conferência de segurança na Alemanha neste fim de semana. A vice-presidente Kamala Harris deve se encontrar com Jalensky durante a cúpula no sábado.

Na sexta-feira, a Casa Branca culpou a Rússia por um ataque cibernético maciço à Ucrânia no início desta semana.

“Acreditamos que o governo russo é responsável por um grande número de ataques cibernéticos a bancos ucranianos nesta semana. Temos informações técnicas vinculadas à Diretoria de Inteligência russa ou GRU”, disse Anne Newberger, vice-conselheira de segurança nacional para tecnologia.

O motivo do ataque foi incomumente rápido para o governo dos EUA, e Newberger observou que a Rússia havia se beneficiado anteriormente do atraso dos EUA em culpar as operações de hackers russas.

“A Rússia quer ir para as sombras e continuar seu comportamento malicioso contra a Ucrânia no ciberespaço, incluindo as pré-condições para sua possível invasão”, disse Newberger a repórteres na sala de conferências da Casa Branca.

Autoridades da Casa Branca alertaram que a ocupação da Ucrânia pela Rússia pode levar a sanções abrangentes, dizendo que foi “a ação mais drástica que já consideramos contra a Rússia”.

READ  Hurricane Hunter grava vídeo de 'vôo severo' no olho de Ian

O discurso de Biden na sexta-feira ocorre em meio a crescentes tensões na região.

Um oficial de segurança familiarizado com a última estimativa disse que quase metade das forças russas ao redor da Ucrânia estavam sob ataque. O número de unidades táticas do batalhão aumentou de aproximadamente 120 para 125.

O responsável disse que o exército russo está constantemente a deslocar tropas para a fronteira e que o número de tropas atacadas atingiu 40% a 50% nas últimas 48 horas.

Michael Carpenter, embaixador dos EUA na Organização para Segurança e Cooperação na Europa, alertou na sexta-feira que os Estados Unidos avaliaram uma presença militar russa significativa perto da Ucrânia nas últimas duas semanas.

“Pode haver 169.000-190.000 funcionários na Ucrânia e seus arredores, em comparação com cerca de 100.000 em 30 de janeiro”, disse ele em comunicado na reunião da OSCE. Isso inclui tropas russas na fronteira com a Ucrânia e forças lideradas pela Rússia no leste da Ucrânia, que não foram incluídas nas estimativas anteriores dos EUA sobre a força da Rússia na região.

Pouco antes de seus comentários, Biden conversou com aliados na América do Norte e na Europa. Ele fará ligações telefônicas com líderes do Canadá, França, Alemanha, Itália, Polônia, Romênia, Reino Unido, União Européia e OTAN para discutir a crise atual.

Durante a ligação, os líderes “expressaram profunda preocupação” com a situação e reiteraram seu apoio à Ucrânia e discutiram mais assistência econômica ao país, disse o comunicado da Casa Branca.

“Eles se comprometeram a continuar a diplomacia para acalmar as tensões, garantindo ao mesmo tempo que estão preparados para impor custos econômicos rápidos e integrados à Rússia se optarem por promover o conflito. Os líderes também discutiram os esforços para garantir a segurança e a segurança da parte oriental da Otan”, disse declaração disse. .

READ  NFL Week 16 Grades: Patriots dominam as contas ganham 'A', os carregadores ganham 'F' para perdas feias

O presidente convocou na sexta-feira uma reunião do vice-presidente com todos os membros do Congresso presentes na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, reiterando o trabalho que está sendo feito pelos Estados Unidos e seus aliados, segundo alguém na sala. Deve tentar impedir a invasão russa da Ucrânia. Ele também informou os membros sobre a situação na fronteira com a Ucrânia.

A história foi atualizada com uma declaração adicional na sexta-feira.

Oren Lieberman da CNN e Guidlan Collins contribuíram para o relatório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.