Tribunal de Apelação de Nova York determina que Trump, Ivanka e Dan Jr. devem se sentar para confessar

Em uma ordem de quatro páginas, o tribunal de primeira instância considerou que “rejeitou corretamente os argumentos dos apelantes de que as saponas emitidas pela OAG deveriam ser anuladas”.

O Tribunal de Apelações disse que a investigação criminal paralela do Gabinete do Procurador Distrital de Manhattan não impediu a procuradora-geral democrata de Nova York, Letidia James, de continuar sua investigação civil, incluindo depoimentos.

“A existência de uma investigação criminal não impede o civil de descobrir os fatos relevantes em que uma parte pode exercer o privilégio de auto-indulgência”, escreveu o tribunal. Os juízes também rejeitaram as alegações de Trump de que foram processados ​​por causa da afiliação política de Trump. Escritório James Ele defendeu Trump, Ivanka Trump e Donald Trump Jr. Para testemunho no ano passado.

Alan Futurfas, advogado de Trump Jr. e Ivanka Trump, disse que estão “considerando o resultado”.

O advogado de Trump, Ronald Fishetti, não fez comentários imediatos. A outra advogada de Trump, Alina Hubba, não pôde ser contatada imediatamente. A decisão de Trump pode ainda ser apelada.

A decisão é um revés para Trump, que tentou evitar depoimentos na audiência do procurador-geral. Em janeiro, o escritório de James disse ter encontrado evidências “significativas” de que a organização Trump usou avaliações de ativos enganosas ou enganosas em suas demonstrações financeiras para obter empréstimos, seguros e incentivos fiscais. Os advogados do escritório de James haviam dito anteriormente que a investigação havia terminado e que a ação civil poderia continuar. Eles estão agendados para uma entrevista Rona Groff, assessora de longa data de Trump Semana que vem. Ele serviu como guardião de Trump por décadas até abril de 2021.

A decisão vem duas semanas depois que o painel de apelações levantou dúvidas durante os argumentos orais sobre a disputa do depósito. Durante o julgamento, o juiz Rolando Acosta pediu ao advogado de Trump o direito de se abster de responder a perguntas sobre sua Quinta Emenda: “O que impede você de acioná-la? Por que devemos intervir neste caso ou restringir a procuração geral?”

READ  Suprema Corte: Escolas religiosas do Maine não podem ser barradas do currículo

Os Trumpes argumentaram que James Grand estava tentando concluir o processo do júri, onde as testemunhas estavam isentas de transação por seu depoimento em Nova York. O juiz de primeira instância rejeitou esse argumento, dizendo que poderia chamar um quinto caso, e o tribunal de apelação aceitou o veredicto.

Não está claro se Trump responderá a perguntas específicas quando for deposto. Em um processo civil, o tribunal arbitral pode formular uma “presunção adversa” e conduzi-la contra pessoas que não respondem às questões.

Eric Trump foi demitido anteriormente pelo Gabinete do Procurador-Geral de Nova York e se recusou a responder a perguntas, enfatizando seu direito da Quinta Emenda mais de 500 vezes contra a autoimolação.

Na quinta-feira, James elogiou a decisão do Tribunal de Apelações.

“O tribunal decidiu novamente a nosso favor e ordenou que Donald Trump, Donald Trump Jr. e Ivanka Trump compareçam em meu escritório para testemunhar sob juramento. Nosso julgamento continuará sem impedimentos porque ninguém está fora da lei”, tuitou James. Em resposta ao acórdão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.