INEM: Serviço de Helicópteros Com Taxa de Operacionalidade Superior a 98%

Helicóptero do INEM estacionado no heliporto municipal de Macedo de Cavaleiros.
Publicidade

O Serviço de Helicópteros de Emergência Médica (SHEM) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) apresenta uma taxa de operacionalidade superior a 98% nos primeiros sete meses de 2019, tendo as quatro aeronaves ao serviço da emergência médica sido acionadas para 595 ocorrências.

O SHEM é composto com por quatro aeronaves que têm base em Macedo de Cavaleiros, Santa Comba Dão, Évora e Loulé. Estes meios de Suporte Avançado de Vida (SAV) foram ativados, de janeiro a julho, para um total de 595 ocorrências, sendo 189 missões primárias e 406 missões secundárias.

Este serviço, que funciona 365 dias por ano, 24 horas por dia, apresenta uma taxa de operacionalidade de 98,3%.


Em relação aos períodos de inoperacionalidade, 1,3% ficou a dever-se a avarias, manutenções ou inspeções que é necessário realizar às aeronaves, 0,1% a questões relacionadas com a equipa médica e 0,3% com a equipa de pilotos. Exclui-se deste cálculo a impossibilidade de intervenção das aeronaves devido à falta de condições meteorológicas ou de segurança. Contudo, os dados disponíveis demostram que este fator apenas condicionou a atividade do SHEM em cerca de 40 horas de atividade nos sete meses de 2019.

O helicóptero sedeado em Macedo de Cavaleiros é o que apresenta um maior número de ocorrências com 161 missões, sendo que 67 foram missões primárias e 94 secundárias.

O helicóptero sedeado na região centro, em Santa Comba Dão, apresenta 148 intervenções, 40 primárias e 108 secundárias. Segue-se o helicóptero sedeado na região algarvia com 147 ocorrências, 37 primárias e 110 secundárias. Já o helicóptero de Évora apresenta 45 ativações para ocorrências primárias e 94 secundárias, totalizando 139 intervenções.

Commentários

Commentários