A China e o Vietname elogiam a melhoria das relações; Assinatura de acordos sobre ferrovias e linhas de dados

  • Hanói e Pequim concordam em construir uma comunidade de “futuro partilhado”.
  • Xi está visitando o Vietnã, sua primeira visita a um país asiático este ano
  • Foram anunciados acordos sobre ferrovias e telecomunicações, mas não sobre elementos de terras raras

HANÓI (Reuters) – Os líderes da China e do Vietnã saudaram nesta quarta-feira sua decisão de fortalecer os laços e ingressar em uma comunidade com um “futuro compartilhado” tão “estratégica” no momento em que a visita do presidente chinês, Xi Jinping, entrava em sua segunda. E o último dia.

Durante a viagem, a primeira deste ano de Xi a um país asiático, os vizinhos governados pelos comunistas, próximos de zonas económicas, mas em desacordo sobre o Mar do Sul da China, assinaram dezenas de acordos de cooperação, após meses de conversações sobre a melhor forma de descrever as relações. .

Os dois lados “anunciaram o estabelecimento de uma comunidade estratégica China-Vietnamita com um futuro compartilhado para avançar ainda mais as relações China-Vietnamitas”, disse Xi ao presidente do Parlamento vietnamita, Phung Dinh Hue, durante uma reunião na quarta-feira.

Na sua reunião com Xi, o primeiro-ministro Pham Minh Chinh descreveu a decisão como um “marco histórico importante”, acrescentando que fazer parte de uma comunidade com um futuro partilhado foi uma escolha “estratégica”.

Em chinês, “futuro compartilhado” usa uma palavra que significa “destino”, mas é traduzida para vietnamita e inglês como o “futuro” mais realista.

READ  Taiwan diz que guerra com a China não é opção 'absoluta', mas fortalece defesas

À medida que a China e os Estados Unidos competem pela influência no país estratégico, os acordos representam uma conquista para a diplomacia vietnamita, embora analistas e diplomatas afirmem que a melhoria nas relações pode ser mais simbólica do que real.

Xi tem pressionado fortemente para melhorar as relações, especialmente depois de o Vietname ter elevado os Estados Unidos, em Setembro, ao nível mais alto na sua classificação diplomática, a mesma da China.

A sua visita ao Vietname, apenas a quarta ao estrangeiro este ano, depois de viagens à Rússia, África do Sul e Estados Unidos, mostra a importância que atribui ao país, que alberga um número crescente de fabricantes chineses.

Colaboração em dados e terras raras

Uma lista de autoridades vietnamitas mostrou que os acordos de cooperação abrangem potenciais investimentos em ferrovias e segurança, bem como três investimentos em telecomunicações e “cooperação de dados digitais”.

Os detalhes dos acordos não foram anunciados, mas especialistas e diplomatas disseram que os acordos de economia digital poderiam abrir caminho para o apoio chinês à construção de uma rede 5G no Vietname e a investimentos em infra-estruturas submarinas.

Hung Nguyen, especialista em questões de cadeia de abastecimento na Universidade RMIT, no Vietname, disse que os acordos reflectem os interesses de ambos os lados, com a China a construir recentemente um centro de dados submarino ao largo da ilha de Hainan, no sul, enquanto o Vietname quer desenvolver a sua infra-estrutura.

Acrescentou que a infra-estrutura de comunicações, as estações terrestres de localização por satélite e os centros de dados poderiam ser áreas-chave para investimento.

Mas alguns itens importantes não foram mencionados na longa lista de acordos assinados.

Por exemplo, não foi revelado qualquer acordo sobre terras raras, embora Xi Jinping, num artigo de opinião publicado num jornal do governo vietnamita, tenha apelado a uma cooperação mais ampla no domínio dos minerais críticos.

READ  China diz que realizou uma "patrulha de preparação" em torno de Taiwan

Isto é de grande importância, uma vez que se estima que o Vietname tenha as segundas maiores reservas do mundo, depois da China, com as suas maiores minas localizadas numa área onde a rede ferroviária deverá beneficiar dos negócios desta semana.

A China domina o fornecimento de minerais essenciais para carros eléctricos e turbinas eólicas, e normalmente reluta em partilhar a sua tecnologia.

O Vietname tem regras rigorosas sobre a exportação de minérios de terras raras que pretende processar no país, mas muitas vezes não dispõe de tecnologia para o fazer.

(Reportagem de Francisco Guarascio, Minh Nguyen e Khanh Vu em Hanói e redação em Pequim) Edição de Gerry Doyle e Clarence Fernandez

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenção de direitos de licenciamentoabre uma nova aba

Francesco lidera uma equipa de repórteres no Vietname que cobre as notícias financeiras e políticas mais importantes do país em rápido crescimento do Sudeste Asiático, com foco nas cadeias de abastecimento e nos investimentos industriais em vários setores, incluindo eletrónica, semicondutores, automóvel e energias renováveis. Antes de Hanói, Francesco trabalhou em Bruxelas em assuntos da União Europeia. Fez também parte da equipa central global da Reuters que cobriu a pandemia da COVID-19 e participou em investigações sobre branqueamento de capitais e corrupção na Europa. Ele é um viajante ávido e sempre faz questão de levar uma mochila para explorar novos lugares.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *