A guerra entre a Rússia e a Ucrânia: últimas notícias – The New York Times

Um importante general russo detido após um motim do magnata mercenário Yevgeny Prigozhin foi libertado, segundo autoridades dos EUA e uma pessoa próxima ao Ministério da Defesa russo.

O general Sergei Surovikin, que era visto como um aliado de Prigozhin e ganhou o apelido de “General Armagedom” por suas táticas brutais na Síria, desapareceu da vista do público em junho, depois que o líder mercenário e membros de seu Grupo Wagner se moveram contra a Rússia. liderança militar.

Autoridades americanas dizem que o general tinha conhecimento prévio do levante e, horas depois de seu início, as autoridades russas divulgaram um vídeo mostrando o general Surovikin, que parecia desconfortável, pedindo aos combatentes de Wagner que se retirassem.

Autoridades dos EUA disseram que, embora o general Surovikin pareça ter sido libertado da detenção oficial, ainda não está claro se ainda existem restrições ao seu movimento ou outras restrições impostas pelas autoridades russas.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry S., disse: Peskov disse a repórteres em entrevista coletiva na terça-feira que não poderia comentar se o general Surovikin estava sob investigação.

O general Surovikin foi libertado dias após a morte de Prigozhin em um acidente de avião no final do mês passado, disse uma pessoa próxima ao Ministério da Defesa russo, que falou sob condição de anonimato, como autoridades americanas, para discutir um assunto delicado.

A fonte disse que o general manteve a sua patente até agora e ainda é tecnicamente um oficial do exército, mas já não tem perspectivas de carreira. A agência de notícias estatal russa informou no mês passado que o general Surovikin havia sido formalmente destituído do posto de comandante da Força Aérea Russa.

READ  Dados econômicos para Coreia do Sul, Índia e Japão

Na segunda-feira, o general Surovikin apareceu pela primeira vez desde o motim de junho numa fotografia publicada nas redes sociais por um meio de comunicação dirigido pela personalidade noticiosa russa Ksenia Sobchak. O general é retratado à paisana, usando óculos escuros, chapéu e camisa de botão, caminhando ao lado de sua esposa em frente a um muro coberto de hera. A localização não ficou imediatamente clara na foto.

Uma postagem no canal do aplicativo de mensagens Telegram vinculado a Sobchak dizia: “O general Sergei Surovikin está fora: vivo e bem, em casa com sua família em Moscou”.

Horas após o início da Revolta de Wagner, as autoridades russas publicaram um videoclipe de Genrak Surovikin pedindo aos combatentes que renunciassem.crédito…Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia, via The Associated Press

Escrito por Alexei A. Venediktov, que chefiou a estação de rádio liberal Echo of Moscow até o Kremlin encerrá-la no ano passado, disse na noite de segunda-feira que o general Surovikin estava em casa com sua família.

“Ele está de licença e à disposição do Ministério da Defesa”, postou Venediktov em seu canal Telegram.

De Outubro a Janeiro, o General Surovikin foi o principal oficial russo encarregado das operações na Ucrânia. Ele supervisionou a retirada das forças russas de Kherson e a mudança para uma estratégia defensiva, que incluiu a construção de um muro de extensas defesas conhecido como “Linha Surovykin”, que conteve as forças ucranianas no seu contra-ataque.

Prigozhin conhecia o general Surovikin porque os combatentes Wagner serviram na Síria com as forças russas quando ele era comandante-chefe naquele país. O líder mercenário elogiou a nomeação do general no ano passado, descrevendo-o como uma figura lendária e o comandante mais capaz do exército russo.

READ  Momentum cresce para banir a Rússia do sistema de pagamento Swift

Mas em Janeiro, o Kremlin afastou o General Surovikin e nomeou Chefe do Estado-Maior General, General Valery V. Gerasimov, comandante que supervisiona as forças na Ucrânia. A mudança marcou o início de uma perda mais ampla de poder para Prigozhin, que logo entrou em confronto com o general Gerasimov e o ministro da Defesa russo, Sergei K. Shoigu, onde as forças de Wagner sofreram pesadas perdas ao tentar capturar a cidade ucraniana de Bakhmut.

Estas tensões acabaram por levar Prigozhin a lançar uma rebelião de curta duração, que, segundo ele, tinha como objectivo destituir os dois chefes de defesa da Rússia, e não destituir o Presidente Vladimir Putin.

À medida que aumentavam as especulações sobre o paradeiro do general Surovikin em Julho, um importante legislador que chefia a comissão de defesa do parlamento russo disse a um repórter que o general estava a “fazer uma pausa”.

Prigozhin foi morto em 23 de agosto, quando um avião particular que transportava ele e outros líderes do Wagner de Moscou para São Petersburgo caiu na região russa de Tver. Autoridades norte-americanas disseram suspeitar que uma explosão a bordo do avião causou o acidente.

O Kremlin descreveu as sugestões ocidentais de que Putin estava envolvido no evento como uma “mentira absoluta”.

Valéria Safronova Contribuiu para relatórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *