A Nicarágua anunciou que libertou Dom Rolando Alvarez e 18 padres da prisão

CIDADE DO MÉXICO (AP) – O governo da Nicarágua anunciou no domingo que libertou um proeminente bispo católico e 18 outros clérigos presos numa repressão do presidente Daniel Ortega e os entregou às autoridades do Vaticano.

O bispo Rolando Alvarez e outros clérigos estão presos há mais de um ano, na maioria dos casos como parte da repressão de Ortega à oposição e à Igreja Católica. Ele os acusou de apoiar os protestos civis massivos em 2018, que alegou serem uma conspiração para destituí-lo.

O governo disse num comunicado de imprensa que as libertações ocorreram no âmbito das negociações com o Vaticano que visam “permitir a sua viagem ao Vaticano”. No passado, os padres presos eram rapidamente transportados para Roma.

O bispo Isidoro Mora também estava entre os libertados no domingo, disse o governo de Ortega.

Ortega 222 prisioneiros enviados para os Estados Unidos Em Fevereiro, num acordo mediado pelo governo dos EUA, estes prisioneiros foram posteriormente privados da sua cidadania.

Dom Alvarez permaneceu na prisão por mais de um ano depois de ser condenado por conspiração e sentenciado a 26 anos de prisão. Um dos clérigos mais francos do país, Eles se recusaram a embarcar no voo de fevereiro Para os Estados Unidos sem poder consultar outros bispos.

Em Outubro, a Nicarágua libertou dezenas de padres católicos presos sob diversas acusações e enviou-os para Roma após um acordo com o Vaticano.

Desde que reprimiu os protestos populares em 2018 exigindo a sua renúncia, o governo de Ortega silenciou sistematicamente as vozes dissidentes e concentrou-se na Igreja, incluindo Confisco da prestigiada Universidade da América Central, administrada por jesuítas em agosto.

READ  Passageiro multado em US $ 1.874 depois que dois Mac Muffins não declarados foram encontrados na bagagem

O Congresso da Nicarágua, dominado pela Frente Sandinista de Libertação Nacional liderada por Ortega, ordenou o encerramento da travessia. Mais de 3.000 ONGsIncluindo a Fundação de Caridade Madre Teresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *