Cape Town Livestock destaca as condições horríveis dos navios de gado

  • Escrito por Wedaile Chibiloshi
  • BBC Notícias

Fonte da imagem, Imagens Getty

Comente a foto,

Milhões de animais de criação fazem longas viagens através dos oceanos todos os anos

Os moradores da Cidade do Cabo acordaram com um forte cheiro de esgoto varrendo seus bairros na manhã de segunda-feira.

Fonte? Um navio vindo do Brasil transportando 19 mil cabeças de gado atracou na cidade costeira da África do Sul na noite anterior, para recarregá-las com ração animal.

Depois de realizar uma avaliação a bordo do Kuwait, funcionários de uma importante organização de bem-estar animal, o Conselho Nacional de SPCAs (NSPCA), disseram que o gado estava a bordo há duas semanas e meia e vivia num “edifício”. ”. – Chegam fezes e amônia [a gas released from urine]”.

A Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade contra Crianças disse em seu comunicado que as condições eram “horríveis” e o fedor era “inimaginável”.

Grupos de campanha dizem que o navio já partiu para o Iraque, mas ainda haverá pânico no ar.

Fonte da imagem, Imagens Getty

Comente a foto,

O navio do Kuwait segue para o Iraque, transportando 19 mil cabeças de gado

O gado é apenas uma pequena parte dos milhões de animais de criação que enfrentam longas viagens para serem abatidos e consumidos noutro país.

As organizações de defesa dos direitos dos animais queixam-se há muito tempo de que as condições a bordo destes navios podem ser perigosas.

Dizem que, em alguns casos, as criaturas morrem pisoteadas devido à superlotação, enquanto a desidratação, as doenças e a fome também são riscos.

Os defensores da exportação de gado dizem que a prática proporciona segurança alimentar aos países importadores e também beneficia financeiramente as comunidades agrícolas nos países exportadores.

Peter Stephenson, do grupo global de bem-estar animal Compassion in Global Farming, disse à BBC que, embora tais desastres sejam horríveis, “o que é realmente ruim é apenas o sofrimento diário” do gado exportado.

Os 19 mil bovinos atracados na África do Sul fazem parte de um rebanho muito maior de exportações brasileiras – em 2022, o país sul-americano enviou 150 mil bovinos vivos para o exterior, segundo estimativas da CIWF.

No ano passado, um juiz brasileiro proibiu a exportação de gado vivo do país, alegando más práticas de bem-estar, mas a proibição ainda não foi imposta.

A Austrália e a União Europeia são também grandes exportadores de gado, com esta última a vender cerca de 4,5 milhões de animais de criação vivos a países estrangeiros, de acordo com a filial sul-africana da instituição de caridade para o bem-estar animal Four Paws.

Na África, a Somália e o Sudão exportam a maior quantidade. As autoridades sudanesas afirmaram que o país exportou mais de 2,7 milhões de cabeças de gado em 2023, apesar da violenta guerra civil. De acordo com a mídia local.

Mas porque é que os países querem importar animais vivos em vez de carne refrigerada ou congelada?

“Há uma crença tradicional em muitos países… de que a carne fresca é de alguma forma mais saborosa e saudável do que a carne embalada, refrigerada ou congelada”, disse Stevenson.

Alguns destes países podem ter dificuldades em criar animais desde o nascimento porque sofrem de condições áridas que pioraram com o aquecimento global.

A Australian LiveCorp, uma organização que serve os exportadores de gado da Austrália, e a AgForce, que representa os produtores rurais em Queensland, afirmam que o transporte de animais contribui para a segurança alimentar em regiões com escassez de água, como o Médio Oriente.

Fonte da imagem, Imagens Getty

Comente a foto,

Ativistas há muito protestam contra as exportações de gado em todo o mundo

Eles também dizem que a exportação de gado beneficia a economia australiana e as comunidades agrícolas, que podem vender os seus animais por um preço mais elevado no exterior do que no mercado interno.

No entanto, a Austrália comprometeu-se a “eliminar gradualmente” as exportações de ovinos vivos em 2023. Mas não estabeleceu um prazo. A vizinha Nova Zelândia impôs a proibição no mesmo ano.

Na Europa, o Luxemburgo proibiu o comércio e o Reino Unido está no bom caminho para fazer o mesmo – com um projecto de lei aprovado na câmara baixa do parlamento, a Câmara dos Comuns, no mês passado. Na quarta-feira, o assunto será apreciado pela câmara alta, a Câmara dos Lordes.

Four Paws salienta que, além de acolher um navio cheio de gado no porto da Cidade do Cabo, a África do Sul exporta ela própria animais de criação.

Fiona Miles, diretora da instituição de caridade na África do Sul, disse: “Existem regulamentações insuficientes e os animais são criados no país simplesmente porque são transportados para serem mortos, o que significa que a África do Sul suporta os impactos nocivos associados à pecuária, enquanto o país importador não. ” , Ele disse.

A atracação de gado na Cidade do Cabo não só causou mau cheiro, mas também lembrou ao mundo os perigos que os animais enfrentam nas longas viagens para chegar aos nossos pratos.

“Os animais são seres sencientes e sentem dor e estresse assim como nós”, disse Miles.

Você também pode estar interessado em:

READ  A tendência COVID que causou um problema tão grande em 2020 está de volta

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *