Centenas de pessoas fazem fila em Moscou para visitar o túmulo do crítico de Putin, Navalny

Olga Maltseva/AFP/Getty Images

Pessoas em luto fazem fila para visitar o túmulo do líder da oposição russa Alexei Navalny no Cemitério Borisovsky, em Moscou.



CNN

Centenas de pessoas compareceram ao túmulo do falecido líder da oposição russa Alexei Navalny.

Fotos divulgadas pelo OVD-Info, um grupo russo independente de direitos humanos que monitora a repressão russa, mostram uma longa fila de pessoas fazendo fila no túmulo de Navalny e depositando flores no Cemitério Borisovsky, em Moscou.

“As pessoas estão deixando flores, se despedindo e sofrendo”, afirmou o grupo.

A Reuters informou que a mãe de Navalny, Lyudmila, estava entre os enlutados no domingo e visitou o túmulo de seu filho pelo segundo dia, acompanhada pela mãe de sua viúva, Yulia.

Ulf Moder/Picture Allianz/Dpa/AP

Navalny morreu no mês passado numa colónia penal no Ártico.

Milhares de pessoas em luto desafiaram ameaças de prisão e se reuniram para fazê-lo O funeral de Navalny é na sexta-feiraduas semanas após a sua morte, aos 47 anos, numa colónia penal do Árctico.

Havia medidas de segurança rígidas e alguns na multidão gritavam seu nome ou slogans anti-Putin.

A morte do líder da oposição provocou a condenação dos líderes mundiais e acusações dos seus assessores de que tinha sido assassinado, embora o Kremlin negasse qualquer envolvimento na sua morte.

O OVD-Info informou no domingo que pelo menos 103 pessoas foram presas em 20 cidades russas no dia do funeral de Navalny. A polícia de choque esteve presente, revistando os enlutados, fotografando-os e obrigando-os a passar por detectores de metal, segundo o grupo.

“Alguns dos que compareceram disseram que esconderam flores debaixo dos casacos ao longo da estrada, com medo de serem presos no caminho”, disseram. “Isso não impediu as pessoas de entrar e se despedir.”

READ  Guerra de Gaza: Portão 96, a nova passagem pela qual é difícil entrar ajuda

Olga Maltseva/AFP/Getty Images

Seu funeral contou com forte segurança, mas também houve cantos desafiadores da multidão.

Navalny regressou à Rússia em 2021, depois de passar meses na Alemanha a recuperar do envenenamento por Novichok que uma investigação do Bellingcat e da CNN descobriu ter sido realizada pela inteligência russa.

Ele foi preso ao chegar e passou o resto da vida atrás das grades por acusações que negou serem de motivação política.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *