Cientistas descobriram uma proteína que desempenha um papel importante no envelhecimento da pele

Em um estudo inovador, os cientistas identificaram o papel fundamental da proteína IL-17 no envelhecimento da pele. Pesquisadores descobriram que algumas células imunológicas da pele exibem altos níveis de IL-17 durante o processo de envelhecimento, o que contribui para uma condição inflamatória. Ao inibir a IL-17, eles observaram sintomas de envelhecimento retardado, como crescimento deficiente do folículo piloso, perda transcutânea de água, cicatrização lenta de feridas e marcadores genéticos de envelhecimento.

Uma colaboração científica descobriu que a proteína IL-17 desempenha um papel fundamental no envelhecimento da pele, com sua inibição temporária levando a sintomas de envelhecimento retardado. Pesquisas futuras investigarão o papel da IL-17 nos processos de envelhecimento de outros tecidos e órgãos.

  • Uma equipe de pesquisadores do IRB Barcelona e do CNAG identificou a proteína IL-17 como determinante do envelhecimento da pele.
  • O bloqueio da função da IL-17 reduz o estado pró-inflamatório e retarda o aparecimento de características relacionadas à idade na pele.
  • Publicado na revista envelhecimento da naturezaO trabalho abre novos caminhos no desenvolvimento de terapias para melhorar a saúde da pele envelhecida.

Uma equipe de cientistas do Instituto de Pesquisa em Biomedicina (IRB Barcelona) em colaboração com o Centro Nacional de Análise Genética (CNAG) descobriu que a proteína IL-17 desempenha um papel fundamental no envelhecimento da pele. O estudo, liderado pelo Dr. Guiomar Solanas, pelo Dr. Salvador Aznar Benitah, ambos do IRB Barcelona, ​​​​e pelo Dr. Holger Heyn, do CNAG, destaca o processo de envelhecimento mediado pela IL-17 para um estado inflamatório.

O envelhecimento da pele é caracterizado por uma série de mudanças estruturais e funcionais que gradualmente contribuem para a deterioração e fragilidade relacionadas à idade. A capacidade de regeneração da pele envelhecida é reduzida, a capacidade de cicatrização é prejudicada e sua função de barreira protetora é diminuída. Publicado na revista envelhecimento da naturezaEste trabalho descreve as mudanças que diferentes tipos de células sofrem com a idade e identifica como certas células imunes da pele expressam altos níveis de IL-17.

Coloração de imunofluorescência para IL-17

Coloração de imunofluorescência para IL-17 (branco) em pele de camundongo envelhecido. Crédito: IRB Barcelona

“Nossos resultados mostram que a IL-17 está envolvida em várias funções relacionadas ao envelhecimento. Observamos que o bloqueio da função dessa proteína retarda o aparecimento de muitas deficiências associadas ao envelhecimento da pele. Essa descoberta abre novas possibilidades para tratar certos sintomas ou facilitar a recuperação da pele após a cirurgia, por exemplo, explica o Dr. Aznar Benyetah, pesquisador do ICREA e chefe do Laboratório de Câncer e Células Tronco do IRB Barcelona.

“O sequenciamento de célula única nos permitiu aprofundar a complexidade dos tipos e estados celulares que compõem a pele e como eles mudam ao longo da vida. Encontramos não apenas diferenças na composição da pele envelhecida, mas também mudanças nas células estados de atividade. Células imunes em particular mostraram características específicas relacionadas à idade.”, que podemos determinar analisando milhares de células individuais simultaneamente, diz o Dr. Holger Heine, chefe do Laboratório de Genômica de Célula Única do CNAG.

Células imunes, inflamação e envelhecimento

Além de uma variedade de células epiteliais, células do folículo piloso e outros componentes, a pele também abriga células imunológicas que desempenham um papel importante na prevenção de infecções e na proteção contra vários danos.

O estudo descreve como a presença de algumas dessas células imunológicas durante o envelhecimento, como células T gama delta, linfócitos inatos e células T CD4+, aumenta acentuadamente na pele. Essas mesmas células também passam a expressar níveis muito elevados da citocina pró-inflamatória IL-17.

Explica a Dra. Paloma Sola, primeira autora do trabalho de pesquisa, juntamente com o Dr. Mereu, agora pesquisador do Josep Carreras Institute for Leukemia Research.

Revertendo os sintomas do envelhecimento da pele

Estudos anteriores haviam descrito que a IL-17 está associada a certas doenças autoimunes da pele, como a psoríase, e existem tratamentos existentes que bloqueiam essa proteína. A equipe de pesquisadores estudou a resposta de vários aspectos ao bloqueio da atividade da IL-17, incluindo crescimento do folículo piloso, perda transcutânea de água, cicatrização de feridas e marcadores genéticos de envelhecimento. Esses quatro parâmetros mostraram melhora após o tratamento, pois a aquisição de características de envelhecimento foi significativamente atrasada.

“IL-17 é essencial para as funções vitais do corpo, como defesa contra micróbios e cicatrização de feridas, portanto, bloqueá-la permanentemente não seria uma opção. O que observamos é que a inibição temporária dela oferece benefícios que podem ser interessantes em um plano terapêutico nível”, diz o Dr. Joyomar Solanas. , pesquisador associado do IRB Barcelona.

O trabalho futuro dos pesquisadores se concentrará em elucidar os processos de envelhecimento associados a condições inflamatórias na pele e como eles se relacionam com a IL-17. A equipe também abordará se a IL-17 está envolvida no envelhecimento e na deterioração de outros tecidos e órgãos.

Referência: “Targeting Lymphocyte-derived IL-17 Signaling to Delay Skin Aging” Por Paloma Sola, Elisabetta Mirio, Julia Bongoch, Marta Casado-Pelaez, Neos Prats, Menica Aguilera, Oscar Reyna, Enrique Blanco, Manel Esteller, Luciano de Croce, Holger Heine, Guimar Solanas, Salvador Aznar Bennettah, 8 de junho de 2023, disponível aqui. envelhecimento da natureza.
DOI: 10.1038/s43587-023-00431-z

Esta pesquisa recebeu financiamento do Conselho Europeu de Pesquisa (ERC), do Governo da Catalunha, do Ministério da Ciência e Inovação da Espanha, da Fundação Lilliane Bettencourt, da Agência Governamental de Pesquisa (AEI) e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

READ  A trama se complica na busca pelo Planeta Nove

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *