Coreia do Norte abole agências que gerenciam relações com o Sul enquanto Kim Jong Un cita hostilidade com seu rival

SEUL, Coreia do Sul (AP) – A Coreia do Norte eliminou organizações governamentais importantes encarregadas de gerir as relações com a Coreia do Sul, informou a mídia estatal na terça-feira, enquanto o líder autoritário Kim Jong Un disse que não iria mais perseguir Reconciliação com seu rival.

A Agência Central de Notícias Coreana oficial da Coreia do Norte disse que a decisão de abolir as agências que cuidam do diálogo e da cooperação com o Sul foi tomada durante uma reunião do parlamento na segunda-feira.

A Assembleia Popular Suprema afirmou num comunicado que as duas Coreias estão agora envolvidas num “confronto acirrado” e que… Seria um grande erro O Norte deveria ver o Sul como um parceiro na diplomacia.

“O Comité para a Reunificação Pacífica do País, o Gabinete de Cooperação Económica Nacional e a Administração Internacional de Turismo (Monte Kumgang), que eram ferramentas existentes para o diálogo, negociações e cooperação (entre o Norte e o Sul), foram abolidos,” o grupo disse. O governo do Norte tomará “medidas práticas” para implementar a decisão.

Durante um discurso na Assembleia Geral, Kim culpou a Coreia do Sul e os Estados Unidos Aumentar as tensões Na região. Ele disse que se tornou impossível para o Norte buscar a reconciliação Reunificação pacífica Com o sul.

Ele apelou à associação para reescrever a constituição da Coreia do Norte na sua próxima reunião para definir a Coreia do Sul como o país “digital” da Coreia do Norte. “Um país inimigo”, disse a KCNA.

O Comité Nacional para a Reunificação Pacífica tem sido a principal agência da Coreia do Norte que trata dos assuntos intercoreanos desde a sua criação em 1961.

O Gabinete Nacional de Cooperação Económica e a Administração Internacional de Turismo do Monte Kumgang foram nomeados para gerir projectos económicos e turísticos conjuntos entre as duas Coreias durante um curto período de reconciliação na década de 2000. Esses projetos estão paralisados ​​há anos, à medida que as relações entre os países rivais se deterioram devido às ambições nucleares da Coreia do Norte, e são proibidos pelas resoluções do Conselho de Segurança da ONU contra a Coreia do Norte, que foram reforçadas desde 2016.

READ  A polícia paquistanesa está na casa de Imran Khan para prendê-lo, mas não consegue encontrá-lo

As tensões na Península Coreana atingiram os níveis mais elevados dos últimos anos, depois de Kim, nos últimos meses, ter intensificado a sua exibição de armas. Os Estados Unidos e os seus aliados Seul e Tóquio responderam intensificando os seus exercícios militares conjuntos, que Kim condenou como ensaios de invasão, e aprimorando as suas estratégias de dissuasão nuclear.

Alguns especialistas dizem que a Coreia do Norte pode tentar aumentar a pressão num ano eleitoral na Coreia do Sul e nos Estados Unidos.

No início deste mês, a Coreia do Norte disparou uma saraivada de projéteis de artilharia perto da disputada fronteira marítima ocidental com a Coreia do Sul, levando o Sul a realizar exercícios de tiro semelhantes na área. Kim também fez ameaças verbais, aproveitando uma conferência política realizada na semana passada para definir a Coreia do Sul como o “principal inimigo” da Coreia do Norte e ameaçando ameaçá-la. extermínio Isso se ele for provocado.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *