Costa Rica rompeu com o establishment e elegeu Maverick Chávez como presidente

SAN JOSÉ, 3 Abr (Reuters) – O economista anti-establishment Rodrigo Chávez assumiu a presidência da Costa Rica neste domingo, promovendo décadas de consenso político em um país da América Central que luta contra o crescente descontentamento social e o aumento da dívida nacional.

Chávez, um ex-funcionário sênior do Banco Mundial, foi projetado para receber cerca de 52,9% dos votos no segundo turno, de acordo com o cálculo preliminar do tribunal eleitoral, baseado em 97% da receita da pesquisa.

O candidato concorrente e ex-presidente da Costa Rica, José Maria Figueroa, recebeu cerca de 47,1%.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Falando a torcedores na capital, San Jose, Chaos, de 60 anos, disse que reconheceu humildemente sua vitória e pediu a Ficuras que o ajude a levar o país adiante.

“Eu humildemente peço a José Maria e seu partido que trabalhem juntos para tornar possível o que Don José Maria chama de milagre da Costa Rica”, disse ele, acrescentando que José Figueroa Ferrer, pai de Ficuras, cumpriu três mandatos como presidente.

“Vamos deixar de lado bobagens e bobagens. Esta noite começaremos a trabalhar juntos para servir nosso país”, acrescentou Chávez, que deve assumir o cargo em 8 de maio.

Figueroa rapidamente admitiu a derrota depois que os resultados saíram.

“Parabenizo Rodrigo Chávez e parabéns a ele”, disse ele aos torcedores.

Caravanas de carros carregando a bandeira do Partido Social-Democrata Progressista do Caos (PPSD) se reuniram em comemoração nas ruas de San Jose.

Depois de inesperadamente terminar em segundo lugar atrás de Ficuras em uma pesquisa incerta de primeiro turno em fevereiro, as pesquisas de opinião mostraram que Chávez era uma opção.

READ  O primeiro-ministro britânico diz temer que a Rússia possa usar armas químicas na Ucrânia porque é direto de seu livro de jogo

Chávez, que serviu brevemente como ministro das Finanças do ex-presidente Carlos Alvarado, competiu como cavaleiro. Ele prometeu sacudir a elite política, prometendo usar o referendo para boicotar o Congresso para trazer mudanças. consulte Mais informação

“Se as pessoas saírem para votar, será uma varredura, um tsunami”, disse Chávez após a votação de domingo.

Figueroa fez campanha sobre sua experiência e herança política familiar na Costa Rica, destino turístico e reduto ecológico considerado uma das democracias mais estáveis ​​da América Latina.

No Twitter, Alvarado disse que convidou Chávez para parabenizá-lo e prometeu entregar o poder adequadamente.

A participação foi de 57,3%, disse o tribunal eleitoral, menos do que os 60% que votaram no primeiro turno.

Indo às urnas no domingo, alguns eleitores disseram a ambos os candidatos que eles eram lentos e que suas carreiras políticas estavam manchadas por falsas acusações.

Chávez enfrentou acusações de assédio sexual durante seu mandato no Banco Mundial, o que ele negou. Figueroa renunciou ao cargo de diretor executivo do Fórum Econômico Mundial em 2004 em meio a alegações de que estava influenciando acordos do governo com a empresa de telecomunicações Alcatel. O caso não foi ouvido em tribunal.

David Diaz, 33, disse que não estava animado com Chávez ou Figueroa. Ele saiu de casa para votar às 7 da manhã na cidade rural de Tagore, a cerca de 30 quilômetros de San Jose.

“Vejo muito pouco movimento, há muita indiferença”, disse Dias, mecânico de uma fábrica de dispositivos médicos.

Chávez enfrenta os desafios de reviver a economia atormentada pela epidemia do Governo-19 e erradicar 23% da população de 5,1 milhões.

A crescente desigualdade de renda com quase 15% de desemprego faz da Costa Rica um dos países mais desiguais do mundo. consulte Mais informação

READ  Inundações no Kentucky: Governador diz que o número de mortos 'pode dobrar', pois é difícil alcançar as pessoas nas áreas afetadas

Em janeiro de 2021, o país concordou com US$ 1,78 bilhão em assistência financeira do Fundo Monetário Internacional.

Em troca, o governo prometeu fazer mudanças financeiras e medidas de austeridade.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Diego Ore e Alvaro Murillo, de Cassandra Garrison; Editando Clarence Fernandez

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.