Exército brasileiro não encontra evidências de fraude eleitoral, frustra esperanças de apoiadores de Bolsonaro | Brasil

Um relatório há muito aguardado do Ministério da Defesa do Brasil não aponta que a última votação foi fraudulenta, diminuindo as esperanças da extrema-direita de deslegitimar a eleição Luiz Inácio Lula da Silva.

Os militares enviaram o relatório de 63 páginas às autoridades eleitorais brasileiras na noite de quarta-feira, após dias de especulação de que apoiaria as alegações do presidente extremista. Jair Bolsonaro As eleições foram poluídas.

Bolsonaro, o ex-chefe do Exército, passou meses insinuando que não aceitaria perder nas urnas e muitas vezes questionou a confiabilidade das urnas eletrônicas do Brasil, embora não tenha oferecido evidências de que elas pudessem ser adulteradas.

Seus apoiadores esperavam que os militares apoiassem essas alegações, mas a única nota de dúvida era uma sugestão fraca de que uma comissão fosse formada para garantir que o código-fonte usado nas caixas não fosse adulterado.

Um alto funcionário eleitoral no Brasil disse que “recebeu com satisfação o relatório final do Ministério da Defesa que, como todos os outros órgãos de monitoramento, não indica nenhuma fraude ou inconsistência nas urnas eletrônicas ou no processo eleitoral de 2022”.

Alexander Moraes, ministro da Suprema Corte que preside a corte eleitoral, disse: “Propostas de melhorias no sistema serão analisadas”.

O relatório do Ministério da Defesa foi divulgado um dia depois que a Ordem dos Advogados do Brasil disse que não encontrou relatos de nada desfavorável durante os dois turnos de votação para presidente, governadores, Congresso e legislaturas estaduais em 27 estados.

Seu relatório disse que encontrou evidências de que “o sistema de justiça eleitoral manteve a justiça e a segurança”.

‘Brasil roubou’: apoiadores de Bolsonaro se recusam a aceitar resultado eleitoral – vídeo

Bolsonaro perdeu o segundo turno da eleição de 30 de outubro para seu oponente Lula por 50,9% a 49,1%, a margem de lucro mais fraca desde o fim da ditadura de direita no Brasil em 1985.

No entanto, Bolsonaro se recusou a admitir a derrota e se escondeu desde a votação, aparecendo apenas uma vez dois dias após a votação para pedir a seus apoiadores que cancelem protestos que bloqueiam rodovias e estradas em todo o país.

Embora as manifestações mais perturbadoras tenham sido dispersadas pelas autoridades policiais, polsonaristas linha-dura continuaram a aparecer em frente ao quartel militar para exigir que os militares assumissem o poder.

Enquanto isso, Lula estava trabalhando na transição antes de sua posse em 1º de janeiro. Ele passou o dia em Brasília conhecendo líderes políticos e elogiou as urnas eletrônicas que o Brasil usa sem problemas desde 1996.

“Os potes eletrônicos são uma vitória do povo brasileiro”, disse Lula. “Acho que muitos países ao redor do mundo têm inveja do Brasil pelo bom funcionamento aqui.”

Os comentários de Lola vieram na forma de A contagem continuou em várias corridas ao Senado e Congresso dos Estados Unidos nas eleições intercalares de terça-feira.

O voto é obrigatório no Brasil, e cerca de 120 milhões de votos são geralmente contados três ou quatro horas após o encerramento das urnas.

READ  Japão reabre suas portas para turistas estrangeiros após dois anos de fechamento epidêmico | Japão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.