Israel-Gaza: Biden espera cessar-fogo na próxima semana

fonte da imagem, EPA-EFE/REX/Shutterstock

legenda da imagem,

Uma mulher palestina carrega seu bebê enquanto a fumaça sobe na Faixa de Gaza na segunda-feira

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que espera um cessar-fogo na guerra Israel-Gaza “até a próxima segunda-feira”.

Seus comentários foram feitos em meio a relatos de que algum progresso havia sido feito nas negociações entre representantes de Israel e do Hamas no Catar.

“Meu conselheiro de segurança nacional me disse que estamos perto”, disse Biden.

Israel lançou uma campanha aérea e terrestre em grande escala em Gaza depois que homens armados do Hamas mataram cerca de 1.200 pessoas no sul de Israel, em 7 de outubro.

Os agressores mantiveram 253 reféns, muitos dos quais já foram libertados.

O ministério da saúde administrado pelo Hamas na Faixa de Gaza afirma que pelo menos 29.782 pessoas foram mortas desde então, incluindo 90 só no domingo.

O presidente Biden, um aliado importante de Israel, falou aos repórteres em Nova Iorque sobre um possível cessar-fogo.

“Estamos perto”, disse ele na segunda-feira. “Ainda não terminamos. Minha esperança é que tenhamos uma trégua na próxima segunda-feira.”

Uma porta-voz do Departamento de Estado dos EUA disse que houve “progresso” nas negociações para libertar os reféns israelenses nos últimos dias, mas não estava claro se o Hamas aceitaria o último acordo proposto.

“Fizemos progressos nas nossas discussões entre o Egipto, Israel, os Estados Unidos e o Qatar”, disse o porta-voz Matthew Miller.

O governo de Israel afirma ter recebido planos dos seus militares para evacuar civis de partes da Faixa de Gaza antes de novas operações terrestres.

Israel está sob pressão internacional para não levar a cabo tal ataque contra a cidade, que alberga muitos refugiados palestinianos que fugiram de outras partes de Gaza.

O Presidente Mahmoud Abbas aceitou a sua decisão, abrindo caminho para um governo tecnocrata.

Abbas está sob pressão dos EUA para reformar a AP, que poderá governar Gaza após o fim da guerra entre Israel e o Hamas.

Na semana passada, Netanyahu apresentou uma visão para a região que não mencionava qualquer papel para a AP.

READ  Kherson: Rússia vai retirar tropas no revés da guerra na Ucrânia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *