Janet Yellen alerta China contra o dumping de energia limpa

Mantenha-se informado com atualizações gratuitas

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, alertou a China contra inundar o mundo com exportações baratas de energia limpa, dizendo que isso distorceria os mercados globais e prejudicaria os trabalhadores.

Yellen entregou a carta de um fabricante de energia solar na Geórgia a Pequim na quarta-feira, poucos dias antes de sua segunda viagem à China como secretária do Tesouro.

Estes comentários reflectem a preocupação contínua da administração Biden sobre as práticas comerciais da China, que provavelmente serão uma fonte de atrito durante a visita de Yellen, apesar dos esforços recentes de ambos os países para estabilizar as relações.

“É importante para mim e para o presidente que as empresas e os trabalhadores norte-americanos possam competir em pé de igualdade. Aumentámos o excesso de capacidade em discussões anteriores com a China e pretendo torná-la uma questão fundamental nas discussões durante a minha próxima viagem ao país”, disse Yellen. disse.

Yellen disse que a anterior sobreprodução de metais como o aço e o alumínio na China prejudicou a economia global e alertou que um excesso semelhante de produtos de energia limpa, incluindo energia solar, carros eléctricos e baterias de iões de lítio, também poderia distorcer os mercados.

“O excesso de capacidade da China distorce os preços e os padrões de produção globais e prejudica as empresas e os trabalhadores americanos”, disse ela, acrescentando que tinha ouvido avisos semelhantes “dos seus homólogos governamentais nos países industrializados e nos mercados emergentes, bem como da comunidade empresarial a nível mundial”.

Yellen instou as autoridades chinesas a tomarem “as medidas necessárias para resolver esta questão”.

READ  A inclinação da Millennium Tower de São Francisco está se aprofundando enquanto os engenheiros lutam para reverter a inclinação

Altos funcionários do Tesouro dos EUA já levantaram preocupações com autoridades chinesas sobre o excesso de capacidade em produtos de energia limpa, inclusive em conversações com He Lifeng, o vice-primeiro-ministro responsável pela economia chinesa.

Os avisos de Yellen surgem num momento em que a administração Biden tenta impulsionar o investimento no seu sector doméstico de tecnologia limpa, oferecendo enormes incentivos fiscais e subsídios aos promotores para construir instalações de produção de energia verde nos Estados Unidos e quebrar a dependência das cadeias de abastecimento chinesas.

Os subsídios incluídos na histórica lei de redução da inflação do presidente Joe Biden foram criticados como protecionistas pelos aliados dos EUA. Os grupos de energia limpa também alertaram que as medidas para restringir as importações chinesas de energia limpa para os Estados Unidos irão abrandar os esforços para reduzir as emissões e tornar a tecnologia renovável mais cara.

Espera-se que o comércio com a China se torne uma questão proeminente na campanha presidencial de 2024, que opõe Biden ao seu antecessor republicano, Donald Trump.

Biden manteve muitas das tarifas sobre as importações chinesas impostas por Trump, mas o ex-presidente prometeu impor tarifas mais duras sobre os produtos chineses se vencer um segundo mandato. Espera-se que isto pressione Biden para que adote uma postura mais dura contra Pequim no comércio antes da votação em novembro.

Yellen disse no seu discurso que as políticas de Biden já começaram a produzir resultados, inclusive na Geórgia, um estado decisivo crucial nas eleições.

Ela destacou anúncios corporativos de mais de US$ 675 bilhões em investimentos em energia limpa e manufatura desde o início do governo, dizendo que a energia solar foi responsável por mais da metade da nova capacidade de geração de energia adicionada à rede dos EUA no ano passado.

READ  As taxas imobiliárias podem diminuir após liquidação com agentes dos EUA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *