Kate Middleton, Princesa de Gales: Agências de notícias relembram fotos citando preocupações com manipulação



CNN

Vários grandes meios de comunicação retiraram uma imagem distribuída pelo Palácio de Kensington que mostrava Catarina, Princesa de Gales, e seus filhos, dizendo acreditar que a foto foi manipulada.

Há uma foto A primeira foto divulgada oficialmente da princesa Desde que ele foi submetido a uma cirurgia de estômago em janeiro, tem havido intensa especulação pública e teorias de conspiração nas redes sociais sobre seu paradeiro exato e saúde há semanas.

A imagem foi divulgada no domingo, junto com uma mensagem da princesa pelo apoio do público enquanto o Reino Unido comemora o Dia das Mães.

A CNN está analisando a foto e entrou em contato com o Palácio de Kensington para comentar.

A Associated Press observou: “Na investigação resultante, a fonte parece ter manipulado a imagem”.

A Agence France-Presse disse que retirou a foto devido a um “problema editorial”.

Numa nota aos clientes, a agência escreveu: “Veio à luz que uma fotografia da Princesa de Gales e dos seus filhos, divulgada hoje pelo Palácio de Kensington, foi alterada e, portanto, retirada dos sistemas da AFP”.

Tanto a Reuters quanto a AP apontaram que a manga da filha de Kate, Charlotte, apresentava evidências de manipulação.

A Reuters disse que a capa não estava alinhada corretamente, sugerindo que a imagem havia sido alterada. Ele disse que a agência não poderia determinar imediatamente como, por que ou por quem a mudança foi feita.

A AP apontou “uma inconsistência no alinhamento” da mão da filha, afirmando que a imagem foi manipulada “de uma forma que não cumpre os padrões fotográficos da AP”.

A maioria das agências fotográficas e organizações de notícias tem regras rígidas contra a publicação de imagens fortemente editadas ou manipuladas. Por exemplo, a Reuters afirma que só permite que o Photoshop seja usado de maneiras “muito limitadas”, como cortar ou redimensionar imagens ou equilibrar suas cores.

READ  Collins diz que apoia Ketanji Brown Jackson para a Suprema Corte

É terminantemente proibido retirar elementos de uma foto ou adicioná-los, pois prejudica a confiança na imagem e a credibilidade do órgão noticioso, mesmo que não seja fonte de alterações.

As organizações de notícias também o usam com frequência Software especial Verifique as fotos para verificar se há evidências de manipulação. Os rápidos avanços na IA generativa nos últimos anos tornaram mais fácil para os malfeitores produzirem fotos e vídeos falsos verossímeis. Gera mais validação Dificuldades para as empresas de mídia.

A remoção das imagens pelos principais meios de comunicação está criando uma nova dor de cabeça de relações públicas para a família real britânica, num momento em que eles tentam reprimir algumas das especulações selvagens que surgiram online após a cirurgia de Kate.

O Palácio de Kensington disse em janeiro que a princesa de 42 anos Não há regresso às funções públicas até à Páscoa No final de março. O palácio não revelou o motivo da cirurgia, mas disse que não era cancerígeno.

Seu longo desaparecimento dos olhos do público gerou rumores furiosos online e na mídia internacional. Parte disso diminuiu um pouco depois que surgiu uma foto no início de março de um carro dirigido pela mãe de Kate; Ela estava sentada no banco do passageiro da frente usando óculos escuros.

Mas a especulação foi amplamente alimentada online, especialmente nas redes sociais, por outros incidentes dentro da família real – incluindo a saída do príncipe William de uma importante reunião familiar no início deste mês, sem explicação pública.

O palácio tem enfrentado uma pressão crescente para partilhar mais informações sobre a futura rainha sem comprometer a sua privacidade médica.

READ  O Telescópio Webb da NASA capturou o retrato mais nítido dos 'Pilares da Criação' de todos os tempos

Em fevereiro, o palácio tomou a rara medida de resistir aos rumores, dizendo que “esclareceu o cronograma para a recuperação da princesa em janeiro e forneceremos apenas atualizações significativas. Essa orientação permanece”.

Esta é uma mensagem importante e atualizada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *