Manifestantes montam tendas e barricadas no campus da UCLA – NBC Los Angeles

O que saber

  • Os manifestantes montaram tendas e barricadas perto de dois prédios do campus da UCLA na manhã de quinta-feira.
  • Alguns manifestantes subiram no telhado de um prédio e penduraram faixas nas laterais.
  • Uma ordem de dissolução foi emitida e policiais foram para a área na tarde de quinta-feira.

O reitor da escola testemunhou perante um comitê da Câmara na quinta-feira sobre os protestos anteriores e a resposta da escola depois que os policiais se reuniram no campus da UCLA na quinta-feira.

O vídeo do NewsChopper4 mostrou duas tendas, barreiras feitas de tábuas de madeira, mesas, cercas e outros materiais, e um grupo de pessoas reunidas no campus entre os corredores Gerkhoff e Moore.

Um grupo que se autodenomina Estudantes pela Justiça na Palestina postou no Instagram que havia montado um “segundo acampamento no pátio de Kerkhof”. No telhado de um prédio, os manifestantes penduraram uma grande faixa que dizia “Acampamento da Unidade da Palestina” na lateral.

E uma fila de policiais com equipamento tático foi posicionada em frente ao prédio, perto dos manifestantes.

O vice-chanceler executivo Michael Becks e o vice-chanceler associado de segurança do campus, Rick Brazil, emitiram um comunicado dizendo que os manifestantes foram obrigados a deixar a área imediatamente.

“Há motivos razoáveis ​​para concluir que as atividades dos manifestantes estão perturbando o funcionamento do campus, incluindo a construção de barricadas, o estabelecimento de barricadas e o bloqueio do acesso a certas áreas e edifícios do campus”, afirmou o comunicado.

Assim que os policiais se mudaram para a área de Kerkhoff e Moore Halls, os manifestantes se mudaram para outra parte do campus.

O LAPD entrou em alerta tático em toda a cidade devido à atividade no campus. O alerta permite que o departamento aumente a força ou redistribua o pessoal, se necessário.

READ  O deputado Chip Roy está tentando bloquear o projeto de lei do teto da dívida no Comitê de Regras da Câmara enquanto a pressão aumenta em uma importante votação decisiva.

O trabalho e as aulas nos corredores Ackerman, Kerchhoff e Moore foram transferidos online durante a quinta-feira. O resto do campus permaneceu aberto.

Um acampamento significativamente maior foi montado no campus de Westwood em Abril, durante os protestos contra a guerra em Gaza. No início deste mês, o campo foi desmantelado numa operação policial matinal que resultou na prisão de 200 pessoas.



A polícia da UCLA fornece detalhes sobre os itens encontrados em 6 de maio, quando prendeu dezenas de manifestantes no campus. Transmissão de vídeo na quinta-feira, 9 de maio de 2024, às 11h, na NBC4 News

Em 30 de Abril, contra-manifestantes atacaram um acampamento pró-Palestina, atirando cones de trânsito, lançando spray de pimenta e derrubando barreiras. A luta continuou por várias horas antes que a polícia chegasse e nenhuma prisão fosse feita. Pelo menos 15 manifestantes ficaram feridos.

Distúrbios intermitentes seguiram-se ao desmantelamento de um campo pró-Palestina e à prisão de 200 pessoas. A universidade foi fechada há um dia e desde então mudou para aulas online. No dia 6 de Maio, cerca de 40 pessoas foram presas durante protestos no campus contra a guerra em Gaza.

O chanceler Jean Black foi um dos três presidentes e reitores de faculdades que testemunharam perante o Comitê de Educação e Força de Trabalho da Câmara sobre os protestos e alegações no campus. Black disse que a escola deveria estar pronta para remover o acampamento original imediatamente.

Black, que deve se aposentar no final de julho, testemunhou dois dias depois que o chefe de polícia da universidade foi demitido e transferido. O chefe John Thomas enfrentou críticas pela forma como lidou com os protestos, que incluíram um ataque a um campo pró-palestiniano.

READ  Notas da Semana 15 da NFL: Cowboys recebem 'F' por derrota para Bills, 49ers recebem 'A' por derrotar Cardinals

Black anunciou que Brazile, ex-chefe de polícia de Sacramento, liderará o novo Escritório de Segurança do Campus, que supervisiona o Departamento de Polícia da UCLA.

Israel enfrenta críticas globais devido ao crescente número de mortos e à crise humanitária em Gaza. Mais de 900 mil palestinos foram deslocados pelos combates só nas últimas semanas e agora carecem de abrigo, comida, água e outros bens essenciais, disse a agência humanitária da ONU na quarta-feira.

Pelo menos 35 mil palestinos foram mortos em Gaza. De acordo com o Ministério da SaúdeNão faz distinção entre combatentes e civis.

Israel lançou a sua guerra em Gaza após a ofensiva do Hamas em 7 de Outubro, na qual os militantes invadiram o sul de Israel, matando cerca de 1.200 pessoas – a maioria civis – e raptando outras 250.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *