O segredo do cérebro por trás da aquisição do Twitter de Musk

Um grupo não oficial de ativistas e empresários de tendência libertária pediu a Elon Musk que lance a aquisição do Twitter por US$ 44 bilhões, de acordo com um novo relatório.

Talvez o mais importante, o cofundador do Twitter, Jack Dorsey, há algum tempo ‘sussurra’ no ouvido de Musk que a empresa deveria ser de propriedade privada e administrada, disseram fontes. Jornal de Wall Street.

Dorsey, que abruptamente deixou o cargo de CEO do Twitter em novembro, mas permaneceu no conselho da empresa, tornou-se tão próximo de Musk que às vezes parece estar ‘espaçado’ nas reuniões porque os dois homens estavam enviando mensagens de texto durante o dia de trabalho, um ex-executivo do Twitter. Ele disse à saída.

Enquanto isso, um grupo unido de amigos e confidentes mais próximos de Musk teria instado o homem mais rico do mundo a usar sua fortuna para afirmar seu controle sobre o Twitter, uma das plataformas mais importantes para o discurso público.

Um grupo não oficial de ativistas e empresários libertários instou Elon Musk a lançar sua aquisição de US$ 44 bilhões no Twitter, de acordo com um novo relatório.

Jack Dorsey, cofundador do Twitter, 'sussurrou' por um tempo no ouvido de Musk que a empresa deveria ser de propriedade privada e administrada

Kimball, irmão de Musk, é membro do conselho de administração da Tesla

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, disse que havia ‘sussurrado’ no ouvido de Musk há algum tempo que a empresa deveria ser de propriedade privada, enquanto Kimball Musk (à direita) também pediu ao irmão que comprasse a empresa, de acordo com um novo relatório.

Preocupado com as repressões e proibições draconianas do Twitter, que muitas vezes pareciam politicamente inclinadas a punir os conservadores, esse grupo supostamente usou sua influência com Musk para persuadi-lo a tomar medidas dramáticas.

O “fundo cerebral” não oficial supostamente inclui o investidor Peter Thiel e o empresário David Sachs – membros da chamada máfia do PayPal que ajudaram a fundar a startup de pagamentos com Musk no final dos anos 90.

READ  Alibaba aumenta recompra de ações para US$ 25 bilhões

Pessoas familiarizadas com o assunto disseram que o capitalista de risco Steve Jurvetson, um dos primeiros investidores da Tesla que já atuou no conselho de administração da empresa, também fazia parte da equipe.

Fontes também informaram que Kimball é irmão de Musk e membro do conselho de administração da Tesla.

Acredita-se que o tenente sênior de Musk, Jared Birshall, também tenha sido um consultor importante na aquisição.

O novo relatório revela como Musk ficou de coração partido quando o Twitter baniu o ex-presidente Donald Trump após os tumultos no Capitólio dos EUA.

Peter Thiel

David Sachs

Diz-se que o “Brain Fund” não oficial inclui o investidor Peter Thiel (à esquerda) e o empresário David Sachs (à direita) – membros da chamada máfia do PayPal.

Pessoas familiarizadas com o assunto disseram que o capitalista de risco Steve Jurvetson, um dos primeiros investidores da Tesla que já atuou no conselho de administração da empresa, também fazia parte da equipe.

Pessoas familiarizadas com o assunto disseram que o capitalista de risco Steve Jurvetson, um dos primeiros investidores da Tesla que já atuou no conselho de administração da empresa, também fazia parte da equipe.

Acredita-se que o tenente sênior de Musk, Jared Birshall, também tenha sido um consultor importante na aquisição.

Acredita-se que o tenente sênior de Musk, Jared Birshall, também tenha sido um consultor importante na aquisição.

Em uma mensagem de texto para um colega, Birshall descreveu a visão de seu chefe como: “Ele discorda totalmente da censura. Especialmente para um presidente em exercício. Louco”.

Musk não revelou publicamente se permitirá que Trump volte ao Twitter assim que assumir o controle, mas disse que se opõe à maioria das proibições permanentes na plataforma. O próprio Trump afirma que não voltaria mesmo que fosse convidado.

Musk parece ter entrado em ação depois que o Twitter suspendeu temporariamente a conta do Babylon Bee, um site satírico conservador, em março.

READ  O custo de carregamento de veículos elétricos versus os preços do gás

The Bee, em um tweet satírico, parabenizou uma mulher trans na administração Biden como “Homem do Ano”.

Musk ligou para Seth Dillon, CEO da Babylon Bee, e perguntou se esse tweet era o motivo da suspensão. Quando Dillon confirmou isso, Musk informou que ele “talvez precise comprar o Twitter”.

Em 13 de abril, um dia antes de sua aquisição hostil ser anunciada pela primeira vez, Musk supostamente jantou em Vancouver com um pequeno grupo, incluindo Jurvetson e o líder do TED, Chris Anderson.

Embora sua participação de 9,6 por cento no Twitter já fosse conhecida naquele momento, Musk parecia desinteressado em discutir seus planos para a empresa, em vez disso, pediu aos convidados do jantar que compartilhassem suas teorias sobre o sentido da vida, disse um participante ao jornal.

Uma pessoa passa pela sede do Twitter em 26 de abril de 2022 no centro de São Francisco

Uma pessoa passa pela sede do Twitter em 26 de abril de 2022 no centro de São Francisco

Ex-executivos do Twitter disseram às revistas que ficaram sabendo da amizade de Dorsey com Musk em 2020.

Dorsey parece ter ficado frustrado com as políticas de moderação cada vez mais rigorosas do Twitter, e teria divulgado a ideia de que a empresa deveria manter conversas privadas com Musk.

Embora não esteja claro até que ponto, se houver, Dorsey estendeu a mão a Musk ao revelar sua oferta de aquisição, o cofundador do Twitter deixou claro publicamente que apoiou a mudança após assinar o acordo.

Dorsey twittou em 25 de abril, dia em que o Twitter aceitou a oferta de Musk: “Elon é a única solução em que posso confiar”. “Confio em sua missão de espalhar a luz da consciência.”

Se Musk executar bem sua oferta de aquisição, Dorsey estaria disposto a desembolsar quase US$ 1 bilhão por sua participação no Twitter.

READ  Melhor Hospital do Mundo 2022 - Top 250 Hospitais

Enquanto isso, em uma reunião de emergência na sexta-feira, funcionários do Twitter criticaram a aquisição da empresa por US$ 44 bilhões por Musk, acusando o homem mais rico do mundo de fanatismo e se preocupando com possíveis cortes de empregos assim que o acordo for fechado.

A equipe da reunião em massa “improvisada” fez perguntas iradas a executivos, incluindo o CEO Parag Agrawal, que foi descrito como parecendo cansado e irritado às vezes, de acordo com o Insider.

Uma porta-voz do Twitter, contatada pelo DailyMail.com na manhã de sábado, se recusou a comentar a reunião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.