Papa ataca poderoso bispo russo por ser porta-voz de Putin

Em entrevista a um jornal italiano, Papa Francisco Recordando uma conversa com um poderoso bispo russo, ele o criticou por ser “o coroinha de Putin”.

Em recente entrevista exclusiva a um jornal italiano Corriere della Sera, Francisco discutiu seus esforços para se encontrar com o presidente russo Presidente russo Vladimir Putin Antes de mencionar uma conversa que teve com o Patriarca Kirill, também conhecido como Vladimir Gundyaev, chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

“Falei com Kirill por 40 minutos via Zoom”, disse Francis. “Nos primeiros 20 minutos ele leu em um pedaço de papel que tinha na mão todas as razões que justificavam a invasão russa. Eu o escutei e depois lhe respondi: não entendo nada disso.”

Francisco que tem Falei contra a guerra Entre a Rússia e a Ucrânia desde 24 de fevereiro, criticou Putin implicitamente Ele lamentou o que chamou de “as sombras escuras da guerra”.

O papa Francisco atirou em um poderoso bispo russo em uma entrevista recente, dizendo que ele não poderia ser “o coroinha de Putin”. Nesta foto, o Papa Francisco abençoa a audiência em sua chegada em 20 de abril de 2022 para a audiência geral semanal na Praça de São Pedro, no Vaticano.
Alberto Bezzoli/AFP via Getty Images

Durante a videochamada com Kirill, o Papa continuou dizendo: “Irmão, não somos clero do estado, não devemos falar a linguagem da política, mas a linguagem de Jesus. Somos os pastores do mesmo santo rebanho de Deus É por isso que devemos procurar um caminho para a paz, devemos parar a luta. “Um patriarca não pode descer de si mesmo para se tornar o coroinha de Putin.”

O chefe da Igreja Católica Romana acrescentou: “Tive um encontro com ele, que estava marcado para 14 de junho em Jerusalém. Nosso segundo encontro poderia ter sido cara a cara, não relacionado à guerra. Mas cancelamos, concordamos que pode ser Ele envia a mensagem errada.”

READ  23h00 em Kiev. Aqui estão os últimos desenvolvimentos na invasão russa da Ucrânia

Francisco acrescentou na entrevista que foi convidado várias vezes para a Ucrânia, mas disse: “Não estou pronto para viajar para Kiev, ainda não”.

Acrescentou: “Enviei os meus enviados, o Cardeal Michael Cherny (Chefe do Departamento para o Avanço do Desenvolvimento Humano) e o Cardeal Konrad Kragowski (Papa Almonair). Este último visitou Kiev pela quarta vez. Mas sinto que devo não vá lá. Ainda não.”

“Primeiro, devo ir a Moscou”, continuou Francisco. “Quero conhecer Putin primeiro. Mas no final sou apenas um padre, o que posso conseguir? Farei o que puder.”

Ucrânia solicitou a orientação do Papa antes da invasão parecer. Em 14 de fevereiro, o embaixador da Ucrânia na Santa Sé, Andrei Yurash, disse à Reuters que a Ucrânia estava aberta à mediação do Vaticano à medida que as tensões entre a Rússia aumentavam na fronteira pela primeira vez.

SEMANA DE NOTÍCIAS Entrei em contato com o Ministério das Relações Exteriores da Rússia para comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.