Pequim intensifica sua pressão militar sobre Taiwan depois que os Estados Unidos e a China anunciaram negociações

O Ministério da Defesa de Taiwan afirma que a China enviou mais de 30 aviões de guerra e um grupo de navios de guerra para a ilha em 24 horas.

A pressão militar segue-se ao anúncio de que se espera que altos representantes dos EUA e da China se reúnam na capital tailandesa, enquanto os dois países procuram acalmar as tensões.

O Exército de Libertação do Povo Chinês enviou 33 aeronaves, incluindo caças Su-30, e seis navios de guerra ao redor de Taiwan, entre 6h de sexta-feira e 6h de sábado. Destas aeronaves, 13 aviões de guerra cruzaram a linha central do Estreito de Taiwan, uma fronteira não oficial considerada uma zona tampão entre a ilha e o continente. Taiwan monitorizou a situação e utilizou as suas próprias forças em resposta às atividades.

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, estiveram em Bangkok para conversações, embora não estivesse claro quando a reunião aconteceria ou se já havia ocorrido.

READ  As importações chinesas de carvão russo em julho atingiram uma alta de 5 anos, com o Ocidente evitando Moscou

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse na sexta-feira que o ministro das Relações Exteriores, Wang, esclarecerá a posição da China sobre Taiwan e as relações EUA-China durante as negociações e discutirá preocupações internacionais e regionais.

Entre as preocupações internacionais imediatas para ambos os países estão as tensões no Mar Vermelho que viraram o comércio global de cabeça para baixo, forçando muitas companhias de navegação a evitar o Canal de Suez. Pequim disse estar a fazer esforços positivos para acalmar a situação em que os rebeldes Houthi apoiados pelo Irão dispararam mísseis contra navios internacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *