Planta de Zaporizhzhia até geradores a diesel onde o bombardeio corta a energia necessária para o resfriamento

  • Uma usina nuclear precisa de uma fonte de energia para evitar um colapso
  • O bombardeio noturno resultou na queda da principal linha de energia
  • Confie em geradores a diesel de emergência hoje em dia
  • Agência Internacional de Energia Atômica: a zona de proteção é uma ‘necessidade urgente’

Kyiv/VIENA (8 de outubro) (Reuters) – A empresa estatal de energia nuclear da Ucrânia e a Agência Internacional de Energia Atômica da Organização das Nações Unidas (ONU) disseram que os bombardeios noturnos cortaram a energia da usina nuclear de Zaporizhia, ocupada pela Rússia, que precisa de resfriamento para evitar o derretimento, forçando-a a alternar para geradores de emergência. Sábado.

Embora os seis reatores estejam fechados, eles ainda precisam de um fornecimento contínuo de eletricidade para manter o combustível nuclear dentro da geladeira e evitar desastres.

A Rússia e a Ucrânia culparam-se mutuamente pelo bombardeio do local da maior usina nuclear da Europa, destruindo prédios e ameaçando um acidente nuclear catastrófico. A AIEA está pressionando pela criação de uma zona de proteção para evitar novos bombardeios.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Falando à BBC World News no sábado, Petro Kotin, chefe da empresa estatal de energia nuclear da Ucrânia, Energoatom, alertou os geradores a diesel de apenas suprimentos de combustível limitados no momento.

“Atualmente estamos trabalhando na logística para fornecer mais combustível para esses geradores”, disse.

A Energoatom não respondeu imediatamente a um inquérito sobre o estado das negociações com as autoridades russas sobre o reabastecimento da estação.

“Se (os geradores) ficarem sem combustível, eles pararão depois disso, e então haverá uma catástrofe… Haverá derretimento no núcleo ativo e emissão radioativa a partir daí”, disse Cotten.

READ  O líder do Brexit, Nigel Farage, está concorrendo às eleições no Reino Unido após sua conversão

A usina nuclear está localizada em uma parte da região de Zaporizhia, recentemente anexada à Rússia, um movimento que a Ucrânia e seus aliados rejeitaram como uma apropriação de terras imperial.

Em um decreto publicado no sábado, o governo russo criou uma empresa para controlar a usina, como o presidente Vladimir Putin ordenou em 5 de outubro.

A Agência Internacional de Energia Atômica, que inclui dois monitores na usina, confirmou a declaração da Energoatum de que a usina havia mudado para seus próprios geradores a diesel depois que o bombardeio por volta da 1h da manhã cortou a linha principal de 750 quilovolts que fornece energia externa à usina.

“A retomada do bombardeio, que atingiu a única fonte de energia externa da usina, é altamente irresponsável. A Usina Nuclear de Zaporizhzhya deve ser protegida”, disse o chefe da agência, Rafael Grossi, em um comunicado. declaração.

“Todos os sistemas de segurança da usina continuam recebendo energia e operando normalmente, e os especialistas da agência (baseados em Zaporizhia) foram informados pelo pessoal operacional sênior ucraniano”, disse a AIEA.

Grossi conversou com a Rússia e a Ucrânia sobre a criação de uma zona de proteção ao redor da usina, embora tenha se recusado a dizer exatamente o que isso incluiria ou como seria implementado ou monitorado. Ele esteve em Kyiv na quinta-feira e deve viajar para a Rússia no início da próxima semana.

“Em breve viajarei para a Federação Russa e depois retornarei à Ucrânia para concordar com uma zona de segurança e proteção nuclear ao redor da usina. Isso é imperativo e urgente”, disse Grossi, segundo a agência.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Max Hunder e François Murphy); Edição por Catherine Evans, Rose Russell e Nick McPhee

READ  União Europeia: Bósnia e Herzegovina inicia negociações para aderir ao bloco

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *