Supremo Tribunal vai realizar audiência especial sobre os pedidos de vacinação de Biden

WASHINGTON – A Suprema Corte disse na noite de quarta-feira que uma audiência especial será realizada no próximo mês para avaliar a legitimidade dos esforços do governo Biden para combater o vírus corona. Uma é que as grandes empresas exigem que seus funcionários recebam ou sejam testados para vacinas contra o coronavírus semanalmente, e outra é que os profissionais de saúde em hospitais financiados pelo governo federal sejam vacinados contra o vírus.

O tribunal disse que estava avançando com velocidade excepcional, abrindo os casos para discussão na sexta-feira, 7 de janeiro. Os juízes não devem retornar ao banco até a próxima segunda-feira.

Ambos os casos são referidos pelos críticos como o documento-sombra do tribunal, no qual o tribunal decide os pedidos urgentes sem explicação e argumento completos sobre questões que às vezes podem ter consequências graves. A decisão do tribunal de ouvir os argumentos das aplicações pode ser uma resposta às crescentes críticas à prática.

A ação, movida em Cincinnati, foi movida na semana passada por um tribunal de apelações dos EUA em Cincinnati após uma decisão para restabelecê-la.

“O Govt-19 continua a espalhar, sofrer mutações, matar e impedir que os trabalhadores americanos retornem aos seus empregos com segurança”, disse a juíza Jane P. Snyder a um painel de três juízes. Strong escreveu. “Para proteger os trabalhadores, a OSHA pode e deve responder aos riscos conforme eles se desenvolvem.”

Quase imediatamente, mais de uma dúzia de contestadores pediram ao Supremo Tribunal que anulasse uma disposição emitida pela Administração de Segurança e Saúde Ocupacional do Departamento de Trabalho ou OSHA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.