TIMO junta-se à SHEIN face a regulamentações mais rigorosas na União Europeia

Temu, a popular plataforma de compras chinesa, está prestes a enfrentar regulamentações mais rigorosas da UE após a crise do coronavírus A Comissão Europeia considerou Uma plataforma online muito grande (VLOP) sob a Lei de Serviços Digitais (DSA).

Segundo a Comissão, Temu confirmou que tem mais de 45 milhões de utilizadores mensais na UE, o que é o mínimo para ser considerado um VLOP. Isto significa que terá de aderir a regras mais rigorosas ao abrigo da Lei dos Serviços Digitais, particularmente em relação à avaliação de “riscos sistémicos” associados aos seus serviços, tais como produtos contrafeitos, produtos ilegais e itens que infringem direitos de propriedade intelectual.

Temu é o mais recente varejista a ser atingido por regulamentações mais rígidas sob o DSA. A Comissão fez o mesmo com a Shein, uma popular empresa de fast fashion, no mês passado. A mudança também ocorre apenas duas semanas depois de outra organização europeia de consumidores BEUC e 17 dos seus grupos membros Faça uma reclamação contra Timo. A denúncia alegou que a empresa não foi transparente com os consumidores sobre seu algoritmo ou de onde vêm seus produtos e usou táticas de manipulação para fazer com que os consumidores gastassem mais.

Temu terá quatro meses para apresentar à Comissão um relatório inicial sobre a sua avaliação do risco sistémico, que deverá apresentar anualmente a partir de agora. Os regulamentos também exigem que Temu implemente mais medidas de proteção ao consumidor, bem como publique relatórios de transparência sobre moderação de conteúdo a cada seis meses.

Embora estas regulamentações se concentrem principalmente nos consumidores da União Europeia, Temu também enfrenta um escrutínio crescente nos Estados Unidos. Os legisladores supostamente pressionaram por uma possível proibição de importação de Temu em fevereiro, citando preocupações com o trabalho forçado de seus fornecedores.

READ  Vanguard diz que o presidente Tim Buckley deixará a gestora de ativos de US$ 9 trilhões este ano

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *