Um voo da American Airlines foi desviado para o aeroporto de Raleigh-Durham devido a inconvenientes para os passageiros

(CNN) O voo 3444 da American Airlines foi desviado para o Aeroporto Internacional de Raleigh-Durham na quarta-feira devido a uma avaria de um passageiro, de acordo com o aeroporto da Carolina do Norte.

“Aproximadamente às 15h41, o voo AA 3444 partiu de Jacksonville para Washington, DC, e desviou para RDU devido à interrupção de um passageiro”, disse o aeroporto em um comunicado. Ao pousar, a aeronave foi direcionada para o Portão C9, onde os policiais embarcaram na aeronave e detiveram o suspeito.

A Administração Federal de Aviação disse que o Embraer E-170 estava em rota do Aeroporto Internacional de Jacksonville, na Flórida, para o Aeroporto Nacional Ronald Reagan, em Washington.

A companhia aérea disse em comunicado que o desvio foi “devido a preocupações de segurança envolvendo um cliente indisciplinado”.

Uma fonte familiarizada com o incidente disse à CNN que a passageira era uma mulher que estava tendo um ataque de pânico.

De acordo com o aeroporto, o avião foi liberado para retomar seu voo para Washington, D.C., e a RDU voltou às operações normais.

O FBI disse que seu escritório em Charlotte, na Carolina do Norte, está investigando e “consultará o Gabinete do Procurador dos EUA para o Distrito Leste da Carolina do Norte para determinar se deve apresentar acusações federais”.

Secretário de Transporte Pete Buttigieg chilro Na noite de quarta-feira, ele foi informado sobre um “distúrbio de nível 4” no voo da American Airlines. De acordo com a FAA, a turbulência de nível 4 é “uma tentativa ou violação real da cabine de comando”.

A Federal Aviation Administration – que está investigando o acidente – disse em um tweet que estava trabalhando em uma regra que exigiria que novos aviões tivessem uma segunda antepara na cabine de comando.

READ  Valor de mercado do Bitcoin cresce 60% em 2023, com grandes bancos de Wall Street perdendo US$ 100 bilhões

“No ano passado, fizemos progresso exigindo que novas aeronaves colocassem uma segunda barreira de cabine de comando depois que a regra foi descontinuada sob o governo anterior. Estamos trabalhando rapidamente para emitir a regra final”, disse o comunicado da FAA.

No ano passado, houve mais de 2.300 relatórios de comportamento desordeiro de passageiros, de acordo com estatísticas da Federal Aviation Administration (FAA). Desses, 80 casos foram encaminhados ao FBI para revisão criminal.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *