Zelensky ‘não quer ouvir’ alertas dos EUA sobre invasão russa

  • O presidente Joe Biden disse na sexta-feira que as pessoas acham que ele está “exagerando” sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia.
  • Antes da invasão, foi relatado que Zelensky acreditava que os comentários de Biden estavam causando pânico.
  • O diretor de inteligência nacional dos EUA disse nesta semana que Biden desclassificou as informações para persuadir aliados.

O presidente ucraniano, Joe Biden, disse na sexta-feira que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky não quer ouvir a inteligência dos EUA que indica que a Rússia está prestes a invadir a Ucrânia.

Biden fez as declarações enquanto falava com doadores em Los Angeles, Califórnia, sobre seu apoio contínuo à Ucrânia, de acordo com o The New York Times. Imprensa associada.

“Nada assim aconteceu desde a Segunda Guerra Mundial”, disse Biden ao jornal, dizendo: “Sei que muitas pessoas pensaram que eu poderia estar exagerando”. Ele acrescentou que os Estados Unidos tinham dados mostrando que o presidente russo Vladimir Putin estava a caminho de invadir.

“Não havia dúvida”, continuou Biden. E Zelensky não queria ouvir.

Antes de lançar uma invasão em larga escala em 24 de fevereiro, a Rússia passou semanas aumentando suas forças na fronteira ucraniana, alimentando especulações sobre se eles estavam ou não se preparando para uma invasão, uma alegação negada pelo Kremlin.

No final de janeiro, depois que autoridades dos EUA disseram que Putin provavelmente invadiria em breve, uma autoridade ucraniana não identificada disse à CNN que isso Zelensky pediu a Biden “mensagens calmas” sobre a invasão Porque causou pânico.

Na segunda-feira, a diretora de Inteligência Nacional dos EUA, Avril Haines, disse que Biden até desclassificou informações sobre a invasão russa Tentando convencer aliados céticos de que isso realmente acontecerá.

READ  Governo Biden elabora plano para refugiados na Ucrânia

Desde o início da guerra, os Estados Unidos doaram dezenas de bilhões de dólares Ajuda à Ucrâniaincluindo milhares de braços.

A Ucrânia conseguiu repelir com sucesso a invasão de algumas de suas maiores cidades, incluindo as capitais Kyiv e Kharkiv, mas os combates continuam na região leste de Donbass, onde as forças russas se concentraram novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.