Acidente de avião russo: a inteligência ucraniana relata que apenas cinco corpos foram entregues ao necrotério de Belgorod



CNN

A Ucrânia disse ter informações de inteligência indicando que apenas cinco corpos foram retirados do local da queda do avião ucraniano. Avião de transporte militar russo Um oficial da inteligência militar ucraniana disse à CNN que a explosão foi levada para um necrotério próximo, lançando dúvidas sobre as alegações de Moscou de que dezenas de prisioneiros de guerra ucranianos foram mortos na explosão.

Deu a Moscou e Kiev Contas conflitantes Sobre como o avião Ilyushin Il-76 foi abatido na quarta-feira na região russa de Belgorod, na fronteira com o leste da Ucrânia. Moscou afirma que o avião transportava prisioneiros de guerra ucranianos, enquanto Kiev afirma que transportava mísseis russos para serem usados ​​no lançamento de novos ataques à Ucrânia.

Mas comentários recentes indicam a confiança crescente de Kiev de que o IL-76, que caiu na manhã de quarta-feira na aldeia de Yablonovo, na região russa de Belgorod, pode não ter transportado prisioneiros de guerra ucranianos antes da troca, como afirmou Moscovo.

Andriy Yusov, porta-voz da inteligência de defesa ucraniana, disse à CNN que o número de corpos levados ao necrotério corresponde ao número de tripulantes do avião. Ele acrescentou: “Nenhum outro corpo foi encontrado”.

Moscou afirmou que todas as 74 pessoas – seis tripulantes, três escoltas militares e 65 soldados ucranianos – morreram no acidente. Um governador regional russo publicou uma lista das pessoas que, segundo ele, compunham a tripulação de seis pessoas.

Quando pressionado pela CNN para esclarecer a discrepância entre o número de tripulantes que as autoridades russas disseram estar a bordo do avião e o número de corpos que a inteligência ucraniana indica que chegaram ao necrotério na quarta-feira, Yusov disse que manteve seus comentários iniciais.

READ  Juízes britânicos renunciam ao tribunal de Hong Kong por repressão da China à dissidência

Rússia Iniciando Não forneceu provas visuais que apoiassem as suas alegações de que havia soldados ucranianos a bordo do avião. O primeiro vídeo a surgir do local do acidente, alguns dos quais foram transmitidos pela mídia estatal russa, parece mostrar vários corpos no chão, mas nenhuma imagem parece indicar dezenas de mortes.

O Comitê de Investigação da Rússia divulgou um segundo vídeo na quinta-feira, que afirma ser do local do acidente e que parece mostrar restos humanos na neve.

O vídeo mostra investigadores medindo o que parece ser uma mão humana ensanguentada e um braço rasgado. Em clipes separados, o vídeo também mostra imagens aéreas do local do acidente e dos restos do avião. Não está claro se os restos mortais humanos no vídeo estão localizados no mesmo local que os restos mortais do avião.

A CNN localizou geograficamente dois vídeos divulgados pelo Comitê Investigativo Russo do local do acidente, que correspondem à localização de uma imagem de radar de abertura sintética (SAR) obtida pelo Umbra Space para a CNN.

O avião caiu em um campo na região rural de Belgorod, ao norte da pequena vila de Yablonovo, de acordo com uma análise da CNN do vídeo e da imagem SAR.

Uma imagem SAR mostra uma coleção de destroços espalhados no local da queda do Il-76. O campo de destroços tem menos de um quilômetro de comprimento, estendendo-se por cerca de 250 metros em seu ponto mais largo.

Moscovo também acusou Kiev de abater o avião com um sistema de mísseis antiaéreos proveniente de território ucraniano, alegando que o equipamento de radar das Forças Aeroespaciais Russas detectou dois mísseis ucranianos. O comando militar ucraniano disse considerar um alvo legítimo um avião militar russo que se aproximava de Belgorod, mas não confirmou se havia disparado contra o avião.

READ  O Partido Trabalhista Britânico desfere um forte golpe ao primeiro-ministro Sunak nas eleições suplementares

A CNN não conseguiu verificar de forma independente as alegações de ambos os lados.

Policiais de trânsito bloqueiam uma estrada perto do local da queda do avião de transporte militar russo Ilyushin Il-76, fora da vila de Yablonovo, na região de Belgorod, Rússia, em 24 de janeiro de 2024.

Tanto Moscovo como Kiev concordam que uma troca de prisioneiros está planeada para quarta-feira, e a troca está programada para ocorrer cerca de 60 quilómetros a oeste da cidade de Belgorod. Na quinta-feira, o Provedor de Justiça ucraniano, Dmytro Lobinets, disse numa entrevista televisiva que a troca estava planeada e que “representantes da nossa instituição estavam presentes”.

Mas Yusov disse que a Ucrânia não recebeu notificação de que os prisioneiros seriam transferidos por via aérea para a região, em vez de por via rodoviária ou ferroviária. Na única outra troca de prisioneiros de guerra ocorrida no início deste mês, a Rússia enviou um ultimato de desconflito à Ucrânia para manter o espaço aéreo de Belgorod limpo, o que a Ucrânia cumpriu, disse Yusov.

Yusov também afirmou que aeronaves russas IL-76 eram frequentemente usadas para transportar mísseis S-300 para posições avançadas, e que a Rússia estava reabastecendo seus mísseis na região de Belgorod após várias ondas de ataques à vizinha cidade ucraniana de Kharkiv.

Os comentários de Yusov, que lançam dúvidas sobre o relato apresentado por Moscou, ecoaram declarações semelhantes feitas por Mykola Oleshchuk, comandante da força aérea ucraniana, na noite de quinta-feira. “A frenética propaganda russa está a dirigir uma torrente de informações falsas a um público externo, numa tentativa de desacreditar a Ucrânia aos olhos da comunidade internacional”, disse ele num comunicado.

Um veículo do Ministério de Emergências da Rússia dirige em uma estrada perto do local da queda do avião de transporte militar russo Ilyushin Il-76, fora da vila de Yablonovo, na região de Belgorod, Rússia, em 24 de janeiro de 2024.

Lobinets também descreveu o relato infundado de Moscovo como “um exemplo vívido de que a Rússia planeia antecipadamente uma campanha mediática contra a Ucrânia”. Ele disse que enviou cartas oficiais às Nações Unidas e ao Comité Internacional da Cruz Vermelha perguntando-lhes se a Rússia os tinha informado da transferência de prisioneiros de guerra por avião.

READ  Ricos da China transferem seu dinheiro para Cingapura em meio a busca de prosperidade compartilhada

Na quinta-feira, o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) lançou uma investigação criminal sobre o incidente. O GCHQ também apelou a uma investigação internacional sobre o incidente, dizendo que “não há provas de que qualquer cidadão ucraniano tenha sido morto a bordo do avião” e que “as declarações oficiais russas não são confiáveis”.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse na quinta-feira que é muito cedo para falar sobre as instruções do presidente russo, Vladimir Putin, sobre a queda do avião militar, já que a investigação ainda está em andamento.

Ele descreveu a derrubada do IL-76 como um “ato absolutamente brutal”, já que o avião supostamente transportava soldados ucranianos que “deveriam estar em casa literalmente dentro de um dia”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *